Demian Maia descarta pressão por cinturão: ‘Não importa se será minha última chance’

Demian vai disputar o cinturão dos meio-médios (Foto: Reprodução/Twitter UFCBrasil)

Demian vai disputar o cinturão dos meio-médios (Foto: Reprodução/Twitter UFCBrasil)

Aos 39 anos, Demian Maia terá no próximo dia 29 de julho, em Anaheim (EUA), aquele que pode ser o desafio mais importante de sua carreira no MMA: ele enfrenta o campeão meio-médio Tyron Woodley no UFC 214. Em virtude da idade avançada do brasileiro, é possível que essa seja a última chance de Demian em conquistar o cinturão do Ultimate. Contudo, ele garante que o peso da responsabilidade não influenciará em seu rendimento.

Veja Também

D. Maia (foto) enfrenta T. Woodley no UFC 214 (Foto: Reprodução/ Twitter/UFC)
Empresário de Demian lamenta tempo de preparo para Woodley

St. Pierre quer retornar ao octógono no segundo semestre deste ano (Foto: Reprodução/Facebook/Georges St. Pierre)
UFC planeja retorno de GSP contra vencedor de Demian x Woodley

“As coisas que aprendi com o tempo e com a minha idade é não colocar esse tipo de pressão. Não importa se será minha última chance ou não. É apenas mais uma luta na minha carreira, meu pensamento é esse. Se eu pensar que essa será a minha última chance estarei colocando uma pressão desnecessária nos meus ombros”, declarou, em entrevista ao programa ‘The MMA Hour’.

Conhecido pelo altíssimo nível do seu jiu-jítsu, Maia terá pela frente um wrestler gabaritado, o que, na teoria, poderia anular suas chances no chão. Entretanto, o paulista afirmou que as melhores qualidades de Woodley, embora reconheça o poder do rival no chão, está na força de seus punhos.

“Eu penso o oposto. Acho que é um ótimo casamento para mim. Ele é um bom wrestler, mas acho que o seu melhor ponto são suas mão pesadas”, concluiu.

Demian Maia vem em uma incrível série de sete vitórias consecutivas, três delas por finalização. Invicto desde fevereiro de 2014, ele derrotou, em sequência, Alexander Yakovlev, Ryan LaFlare, Neil Magny, Gunnar Nelson, Matt Brown, Carlos Condit e Jorge Masvidal.

Source: Portal da Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *