Ex-campeão do UFC, Mir revela oferta do Bellator e quer Fedor

F. Mir pode reforçar o Bellator (Foto: Reprodução Facebook Frank Mir)

F. Mir pode reforçar o Bellator (Foto: Reprodução Facebook Frank Mir)

O peso pesado Frank Mir anunciou sua partida do UFC há alguns meses, após um acordo com a organização e está negociando com algumas outras promoções. Porém, o ex-campeão do Ultimate parece disposto a conversar com o Bellator, maior rival de seus ex-empregadores. Isso porque Mir sonha em lutar com Fedor Emelianenko, que tem contrato com a promoção via parceria com o Rizin, evento japonês.

Veja Também

Hendo (esq) pega Sakuraba (dir) no grappling (Foto: Reprodução Twitter ks_saku39)
Rizin anuncia duelo entre Henderson e Sakuraba na luta agarrada

Johnson cogita retornar ao MMA (Foto: Facebook/UFC)
Aposentado do MMA, Johnson cogita voltar ao UFC para enfrentar Jones

Aldo quer lutar ainda em 2017 (Foto: Reprodução/Facebook/JoséAldo)
Sem pensar em cinturão, Aldo mira duelo com Swanson: ‘Quero lutar o quanto antes’

“Fedor seria um nome fenomenal para se ter no meu currículo. Ter enfrentado alguém como Fedor é algo que posso levar para o restante da minha vida. Mas Fedor luta em vários eventos. Então não quero entrar em uma situação na qual eu estive por 16 anos: “Ei, quero lutar com você, mas eu sou do UFC e você não”. E isso é chato. Nunca aconteceria esse meu duelo com Fedor naquela situação. Então quero evitar isso no futuro”, comentou Mir, em entrevista ao programa The MMA Hour.

Porém, o ex-campeão terá de esperar até abril de 2018 para entrar em ação novamente. Parte do acordo que o liberou do UFC prevê que ele fique longe das competições por alguns meses, já que ele havia sido suspenso pela USADA após ter caído em exame antidoping. Seu período de suspensão acaba em abril, mas como outras promoções não são parceiras da USADA, ele poderia lutar fora dos Estados Unidos. Mas ele pretende evitar qualquer problema com seus ex-patrões.

“Eu poderia lutar fora dos Estados Unidos, mas não sei como seria para voltar a lutar no país depois disso. É uma área cinza, então não sei se valeria a pena algo do tipo”, ponderou.

Source: Portal da Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *