No sufoco, Amanda Nunes vence Shevchenko e defende cinturão no UFC 215

A. Nunes (esq) superou V. Shevchenko (dir) de novo (Foto: Reprodução Twitter UFCNews)

A. Nunes (esq) superou V. Shevchenko (dir) de novo (Foto: Reprodução Twitter UFCNews)

Foi sofrido, difícil, mas Amanda Nunes superou, talvez, seu maior desafio na divisão dos galos. Neste sábado (9), a brasileira venceu Valentina Shevchenko, por decisão dividida, na luta principal do UFC 215, mantendo seu título do Ultimate e dando um ponto final à rivalidade com a quirguistanesa naturalizada peruana. O duelo durou os cinco rounds, e foi ainda mais equilibrado que a primeira vez que as duas se encontraram, quando a Leoa também venceu por decisão.

Veja Também

RDA venceu Magny no UFC 215 (Foto: Reprodução Twitter UFCNews)
Dos Anjos finaliza Magny e pede chance pelo cinturão meio-médio

ketlen-instagram-ufc
Ketlen Vieira ‘salva’ brasileiros nas preliminares do UFC 215

Cerrone lutará na Polônia (Foto: Reprodução/ Instagram DonaldCerrone)
Cerrone admite que não conhece Darren Till, seu próximo adversário

Desta vez, porém, Amanda mostrou estar com o preparo físico em dia, mas não teve o ímpeto de terminar as lutas de outrora. Usando os chutes baixos e a tática de cercar a desafiante, Nunes venceu três rounds nas papeletas de dois juízes, incluindo o último assalto, quando finalmente partiu para cima e usou seu wrestling para quedar Shevchenko e garantir a suada – e controversa – vitória.

Após o anúncio de sua vitória, Amanda chegou a ser vaiada pelos fãs de Edmonton, no Canadá, e explicou que queria provar às suas futuras adversárias que tinha o preparo físico para durar cinco rounds.

“Eu sabia de tudo que Shevchenko podia trazer para o octógono. Eu sabia do que ela era capaz, por isso fui para a academia durante todos os dias pensando em um jeito de vencê-la e consegui. E ainda campeã”, comemorou.

Revoltada, Valentina Shevchenko exigiu uma terceira luta e declarou que a brasileira não havia lhe machucado em nenhum momento.

“Foi um absurdo. Não concordo em nada com essa decisão. Ela não me machucou em nenhum momento, só deu chutes fracos na minha perna. Ela ganha a luta por causa de uma queda? E mesmo por baixo eu estava dando mais golpes. Não acredito nisso, quero uma outra luta com ela, não quero outra adversária”, disparou Shevchenko.

A LUTA

Normalmente usando sua agressividade para atropelar suas oponentes, Amanda surpreendeu com sua abordagem para a revanche com Shevchenko. Mais paciente, a campeã usou o round inicial para pressionar a adversária perto da grade e usou chutes para manter a distância, impedindo que a peruana conquistasse pontos com socos ou chutes. Sentindo a estratégia da brasileira, Valentina pareceu esperar a adversária cansar e pouco fez nos primeiros cinco minutos. No segundo round, porém, ela começou a abrir seu arsenal e, mesmo andando para trás, foi superior. Com socos duros e acertando Amanda com ganchos de direita sempre que ela atacava, Shevchenko levou o segundo assalto.

No terceiro round, os dois estilos finalmente se chocaram. A abordagem paciente e baseada em chutes baixos e no corpo de Amanda com os socos voadores e contra-ataques de Valentina fizeram com que esse fosse o assalto mais emocionante da noite. O quarto round foi parecido com o segundo. Mesmo andando para trás, Valentina parecia melhor, soltando e conectando mais golpes e cada vez mais duros contra Nunes, que pouco pontuava.

O quinto e último assalto seguia no mesmo ritmo, quando Amanda resolveu usar seu wrestling. Após grampear e tentar a queda, a brasileira se separou de Valentina, mas logo em seguida viu a adversária tentar uma queda de sacrifício. Pressentindo o uso da técnica, a campeã defendeu e já pegou as costas de Shevchenko, que logo depois conseguiu levantar.

Pouco depois, porém, Amanda voltou a conseguir uma queda, que lhe provou vital para conseguir a luta. A brasileira caiu na meia-guarda e, mesmo soltando poucos golpes e levando socos no rosto por baixo, a brasileira terminou o combate por cima e impressionou os juízes laterais.

Resultados do UFC 215

 

CARD PRINCIPAL 

Peso galo: Amanda Nunes venceu Valentina Shevchenko por decisão dividida (47-48, 48-47, 48-47)

Peso meio-médio: Rafael dos Anjos venceu Neil Magny por finalização (katagatame) no R1

Peso mosca: Henry Cejudo venceu Wilson Reis por nocaute técnico aos 25s do R2

Peso meio-pesado: Ilir Latifi venceu Tyson Pedro por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27)

Peso pena: Jeremy Stephens venceu Gilbert Melendez por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-25)

CARD PRELIMINAR

Peso galo: Ketlen Vieira venceu Sara McMann por finalização (katagatame) aos 4m16s do R2

Peso galo: Sarah Moras venceu Ashlee Evans-Smith por finalização (chave de braço) aos 2m51s do R1

Peso pena: Rick Glenn venceu Gavin Tucker por decisão unânime (30-25, 30-24, 29-27)

Peso leve: Alex White venceu Mitch Clarke por nocaute técnico aos 4m35s do R2

Peso pesado: Arjan Bhullar venceu Luis Henrique KLB por decisão unânime (3x 29-28)

Peso leve: Kajan Johnson venceu Adriano Martins por nocaute aos 49s do R3

Source: Portal da Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *