A importância da preparação psicológica no contexto dos esportes e atividades físicas; confira

Por Priscila Valerio

A Psicologia de Guerreiro e PsicoFitness Brasil tem movimentado o mundo dos esportes no cenário carioca. Fundada por Priscila Valerio, Psicóloga, pós- graduada em Psicologia Esportiva, especialista em Liderança e Gestão de Pessoas e formada em Coaching, a Psicologia de Guerreiro fornece informações psicológicas a todos aqueles que estão envolvidos em contextos desportivos e de exercício físico, de forma a ajudá-los a atingirem seus objetivos, independentemente de tais objetivos serem a melhoria do rendimento, uma vida mais saudável, ou o lazer e satisfação provenientes da participação na atividade física.

Fundamentada na Psicologia, Programação Neurolinguística, Neurociência e no Coaching, visa relacionar aspectos psicofísicos e psicossociais, mapear e desenvolver habilidades psicológicas junto a atletas de alto rendimento, esportistas e equipe multidisciplinar no contexto esportivo para o alcance da alta performance.

Psicologia de Guerreiro e o MMA

No cenário dos esportes de combate, o MMA é uma modalidade complexa, que exige conhecimento abrangente em artes marciais: Boxe, Jiu-Jitsu, Judô, Muay-Thai, Caratê e Wrestling, com a finalidade de ampliar seu repertório motor, tornando-se um atleta completo de MMA.

Um atleta de alta performance em MMA é exigido em grau máximo em todos os combates. Sua preparação deve ser técnica, tática, física e, principalmente, psicológica, que deve ser contínua.

No momento da luta, o atleta deve apresentar versatilidade para lidar com situações imprevisíveis, ter resistência a dor e surpreender seu adversário, utilizando todas as técnicas formuladas previamente e tudo que “sangrou” nos treinos.

Olhar para dentro de si mesmo no combate

Uma atitude de autorresponsabilidade relaciona-se a, em nenhuma hipótese, menosprezar o adversário. Sagrar-se vencedor é uma questão de saber usar as próprias potencialidades, reverter situações desfavoráveis e ter visualização criativa sobre o próprio jogo, de modo a reverter situações impostas pelo oponente a seu favor.

Fundamentalmente, o atleta de MMA deve estar preparado psicologicamente para lidar com adversidades na hora do combate: oponente mais forte, podendo gerar falsa sensação de discrepância de forças no combate, com um cartel maior de lutas, torcida contra, ambiente, entre outras coisas. Todos esses fatores podem interferir no emocional do atleta, podendo comprometer seu desempenho no combate. Por isso, a importância da preparação psicológica para lidar com todas as pressões que a modalidade envolve.

O combate e os processos psicológicos

Com características peculiares, como resistência a dor, controle de agressividade, investimento de energia corporal, coordenação motora de movimentos em conjunto e rápidos, no estilo atacar e reagir no tempo certo para não ser nocauteado pelas circunstâncias; alto nível de concentração e atenção, nível de ansiedade considerada moderada a baixa, autoconfiança, características de personalidade resistente a frustrações, controle emocional, tornam o atleta com probabilidade maior de ser orientado à vitória.

O programa de preparação psicológica abrange aspectos como autoconfiança, motivação, concentração, liderança, treinamento e visualização mental, pensamento e diálogos interiores fortalecedores de autoconfiança, entre outros aspectos psicofisiológicos. Cada modalidade de artes marciais exige um programa psicológico diferente.

Case de sucesso

Um case de sucesso de um dos clientes da Psicologia de Guerreiro é a academia CT Brasil. No local, participam do programa psicológico uma média de 20 atletas das artes marciais. Há uma interação interdisciplinar, com foco nas necessidades individuais de cada atleta e nas necessidades do grupo.

Implementei o projeto de psicologia esportiva na CT Brasil do zero. Os atletas foram submetidos à entrevista individual para entendimento do seu histórico como atleta, onde está em sua carreira e onde almeja chegar; testes psicológicos foram aplicados, para analisar traços de personalidade, análise dos processos cognitivos, predominância cerebral e avaliação do estado emocional, além de técnicas de biofeedback, que simula situações de exposição a riscos e desafios.

Através dessa técnica, possíveis medos e bloqueios são rastreados, observando-se as dificuldades que podem atrapalhar a performance esportiva do atleta. Aspectos fisiológicos, como a respiração e os batimentos cardíacos são indicadores de gap’s mentais para enfrentar situações de dificuldade. A mente é treinada para que o atleta supere as dificuldades na prática esportiva.

Psicologia de Guerreiro e Alta Performance

Alcançar a alta performance é a construção diária de resultados. Deixo isso muito claro para os treinadores, entidades esportivas e atletas que buscam a Psicologia de Guerreiro. A motivação intríseca, o esforço, treinamento duro, somado às ferramentas que criei com base na Psicologia Esportiva, Programação Neurolinguística, Neurociência e no Coaching, busca-se reprogramar a mente para acessar padrões ricos em recursos e crenças fortalecedoras para o atingimento de resultados eficazes.

Todo atleta é capaz de alcançar a alta performance, desde que esteja disposto a trilhar o caminho da persistência, resistência, renúncias e estar acima da média; ter convicções consistentes, fazer o que nunca fez e se superar todos os dias.
Isso é Psicologia de Guerreiro!

Cérebro em Boa Forma

A boa forma do cérebro consiste em treinar a mente sob a perspectiva da modalidade esportiva. Através da visualização e treinamento mental, o atleta poderá enxergar-se em situações desconfortáveis, tais como: receber vaia da torcida dentro do octógono, reagir a provocações do adversário, derrota, emoções negativas, dor, entre outros casos.

Quando o atleta treina o cérebro com riqueza de detalhes em relação a imprevistos que podem acontecer na competição, ele estará preparado mentalmente para lidar com a situação, acessando seus recursos psicológicos. Assim como no Jiu-Jitsu que, para chegar à faixa preta, é necessário muito treino, a resistência mental também é resultado de muito treinamento. Dia a dia, o cérebro vai ganhando a boa forma.

O atleta deve conhecer suas fragilidades e aprender a lidar com seus sentimentos e emoções, que podem levá-lo ao fracasso ou à vitória. Ressalto a importância da autoconfiança do atleta, que estão atreladas à forma que o mesmo enxerga a si mesmo, a sua autoestima, a forma que valoriza suas potencialidades e na segurança que possui para tomar decisões dentro e fora do contexto esportivo.

O autoconhecimento impacta diretamente no rendimento esportivo do atleta.
Quanto mais o atleta se conhece a probabilidade de ser orientado à vitória, é uma questão de treino e tempo, aliado à outras estratégias traçadas junto a equipe multidisciplinar.

Priscila Valerio
CRP: 5/44811

Psicóloga, pós-graduada em Psicologia Esportiva, Founder da Psicologia de Guerreiro; Formada em Coaching, Especialista em Liderança e Gestão de Pessoas/UFRJ. Atua com Excelência em Alta Performance Humana, Treinamento Mental para os Esportes de Combate e contato, Surf e Fitness, Comportamento Alimentar e Qualidade de Vida. Desenvolve Projeto Macro para implementação, revisão ou Projeto Micro na área de Psicologia do Esporte. Palestrante, organizadora de cursos e presta consultoria para grupos e empresas relacionadas ao contexto esportivo e qualidade de vida.

Acesse: www.psicologiadeguerreiro.com

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *