Aluno da Team Nogueira vence luta contra depressão e ataque de pânico através das artes marciais

Daniel Cipriano é a prova de que as artes marciais podem mudar vidas. Com apenas 22 anos, este atleta encontrou no Muay Thai o estímulo que precisava para vencer uma das doenças mais graves da atualidade: a depressão. Além de todo este sofrimento, o lutador também precisou ganhar de outra doença, o ataque de pânico, e graças à terapia encontrou o caminho dos esportes e se tornou um exemplo de superação dentro e fora dos tatames.

O caminho não é fácil até chegar na academia todos os dias. Morando longe da Team Nogueira do Recreio (confira mais sobre o trabalho da equipe), Daniel acorda cedo para chegar a tempo dos horários de seus treinos. Ele treina cinco dias por semana, das 6h30 às 21h.

“Eu comecei a treinar por essa questão da depressão, eu queria uma ajuda para esse problema que não fosse remédio, então eu pesquisei com a minha psicóloga e vi que lutar podia me ajudar, procurei uma boa academia, com bons profissionais, e achei a Team Nogueira. Mesmo morando muito longe eu achei melhor ter o trabalho de ir para academia do que sofrer em casa e hoje posso dizer que estou muito melhor nessa questão”, avalia Daniel Cipriano.

De acordo com o seu mestre Diego Baiano, que o adotou praticamente como filho, Daniel tem um futuro promissor no MMA e o seu objetivo é participar de eventos que o possam qualificar para o UFC. Ele já tem uma luta marcada para o dia 17 de setembro, no Country Club da Praça Seca, Rio de Janeiro, na qual irá disputar o cinturão da categoria até 57kg.

Jovem está se preparando para entrar em ação no MMA e projeta futuro no UFC (Foto divulgação)

“Daniel veio me procurar para sair da depressão porque havia descoberto durante uma sessão de terapia que lutar poderia fazer com que ele deixasse de lado os medos, as ansiedades e ajudaria ele a enfrentar os desafios do dia a dia. A sua crise de pânico sempre foi algo que mexeu com ele, mas ao se tornar um lutador ele pôde enfrentar cara a cara os seus monstros e venceu todos eles. Hoje ele quer se tornar um grau preto de Muay Thai e estamos trabalhando para isso”, ressaltou Diego Baiano.

“A filosofia das artes marciais contribui para desenvolver estes valores, não é à toa que muitos pais colocam seus filhos em atividades “kids”, pois desde cedo eles aprendem a ter mais disciplina, a serem menos agressivos, a desenvolverem aptidões físicas e terem mais contato social com crianças da sua idade”, encerrou.

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *