Gadelha ironiza qualidades de Bate-Estaca: ‘Sem técnica, muito brigona’

Gadelha provocou Bate-Estaca (Foto:Reprodução/Twitter UFCBrasil)

Gadelha provocou Bate-Estaca (Foto:Reprodução/Twitter UFCBrasil)

Se Jéssica Bate-Estaca preferiu não provocar, Claudia Gadelha foi na contramão. Prestes a enfrentar a compatriota na segunda luta mais importante do UFC Japão, que acontece nesta sexta-feira (22), em Saitama, Claudinha provocou ao questionar as habilidades da rival, insinuando que Jéssica é mais ‘raça do que técnica.

Veja Também

Bate-Estaca vai enfrentar Gadelha no UFC Japão (Foto: Reprodução/Combateplay)
Bate-Estaca lamenta ter que enfrentar Gadelha: ‘Sobrou nós duas’

Duelo irá acontecer dia 20 de janeiro (Foto: Reprodução/Bellator/Motagem SL)
Douglas Lima coloca cinturão do Bellator em jogo contra MacDonald

“Acho que ela não me respeitou muito quando foi lutar com a Joanna, falou algumas coisas por tabela, mas que, claro, não me ofenderam em nada. Eu sabia que a luta dela com a Joanna ia dar naquilo mesmo. Respeito meus adversários, não gosto de “trash talk” e não vou respondê-la com palavras. Somos do mesmo país, o mesmo trabalho e só tenho que respeitá-la. A Jéssica é uma lutadora de muito coração, de garra, mas acho ela sem técnica, muito brigona”, declarou, em entrevista ao site do canal ‘Combate’.

Vindo de duas vitórias consecutivas, Gadelha sabe que um triunfo sobre Bate-Estaca pode lhe render uma nova chance de disputar o cinturão da categoria peso palha, que atualmente está em posse de Joanna Jedrzejczyk, que já a venceu em duas oportunidades. Embora ressalte que o foco está em seu próximo desafio, a brasileira não consegue esconder a ansiedade por lutar novamente pelo título.

“Sinceramente, não estou pensando em disputa de cinturão agora. Pelo menos, tento não pensar muito nisso ou nas lutas pelo cinturão que perdi. Estou focada somente nessa luta, mas, com certeza, depois da Jéssica, vou querer enfrentar a campeã. Não quero mudar de categoria, sinto que a peso-palha é a minha divisão mesmo, mas poderia, quem sabe um dia, me experimentar nos 57kg (peso-mosca). Mas minha motivação, claro, é vencer no Japão e ir atrás do cinturão”, concluiu.

Source: Portal da Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *