Colby cita ataques contra ele como ‘justificativa’ e dispara contra Libório: ‘E uma piada’; saiba

No último sábado (28), durante o UFC São Paulo, Colby Covington causou uma enorme polêmica, ao chamar o Brasil de “chiqueiro” e as pessoas de “animais imundos”, ainda no octógono, após vencer Demian Maia. O lutador dos Estados Unidos, na noite de segunda-feira (30), deu entrevista ao The MMA Hour e revelou que, antes de entrar no cage, estava sendo ofendido por torcedores no ginásio do Ibirapuera.

“Eu simplesmente não gostei de como eles me trataram quando eu estava no túnel antes de ir para a luta. Estava sentado no túnel e eles gritavam todas essas coisas: “Oh, eu com*** sua mãe”, isso e aquilo. Coisas sobre mim: “Oh, você vai morrer”. Atirando copos e outras coisas como cachorros-quentes”, apontou o meio-médio, afirmando que foi desrespeitado.

“Você precisa me respeitar. Estou indo em uma luta, isso é profissional. Então, eu simplesmente me sentia desrespeitado por eles (torcida brasileira). Não disse nada que fosse muito estranho. A maneira como eles tratam as pessoas lá, você não pode fazer isso no Canadá. Você não pode fazer isso nos EUA. Você não vai ouvir toda multidão fazendo coisas assim e as coisas que eles fazem. Então, eu não acho que falei nada demais”, disse.

Covington afirmou que estava arrumado para ir a coletiva de imprensa após o evento, mas o Ultimate vetou a sua participação e o encaminhou para o hotel. O lutador, inclusive, contou que ficou isolado, sem contato com ninguém até o dia de regressar à Oregon, nos Estados Unidos. Sobre a luta, o atleta da ATT contou que foi “divertido”, mas não pretende mais lutar no Brasil.

“Foi louco, cara. A experiência, foi incrível. Você sabe, eu amo isso. Eu sabia que estava indo a um território hostil. Eu sabia que eles ficariam realmente tristes, haveria muitas pessoas chateadas depois que eu batesse no Demian. Eu esperava isso. Foi incrível, cara. Foi um momento divertido. Eu sou atleta do UFC. Eu irei aonde o UFC quiser que eu vá. Mas, provavelmente, não farei uma aparição no Brasil”, contou.

Colby ataca Libório e brasileiros da ATT

Ainda na segunda-feira, Ricardo Libório, brasileiro e um dos fundadores da American Top Team, anunciou a saída oficial da equipe, alegando a falta de respeito dentro do esporte. Em resposta, ao site Bloody Elbow, o falastrão americano disparou contra o faixa-preta de Jiu-Jitsu do lendário Carlson Gracie.

Colby Covington atacou os companheiros de treinos na ATT e Ricardo Libório (Foto: Getty Images)

“Ricardo Libório é uma piada. Esse cara saiu da ATT há dois, três anos. Esse cara é uma completa piada tentando usar meu nome, minha fama e essa coisa com o Brasil para fazê-lo parecer um cara bom da ATT. Ele saiu da ATT há um tempo. Estava usando Dan Lambert, dono da ATT. Ele recebeu seus salários por dois ou três anos sem nunca aparecer para trabalhar. É um vigarista desprezível e está agindo como um pedaço de m*** tentando usar meu nome para aparecer”, disparou, que aproveitou para atacar Antônio Pezão e Amanda Nunes, ambos da American Top Team, que usaram as redes sociais para se manifestarem.

“Não ligo para Amanda Nunes, nem para (Antônio) Pezão. Eles não são meus amigos, nunca foram meus amigos e nunca serão meus amigos. Não é um time, não sou parte de um time. Não estamos em um sistema de pontuação como no basquete ou futebol, onde é um time. Este é um esporte individual. Eu represento a American Top Team, mas não represento nenhum outro lutar da academia”, contou ao MMA Junkie.

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *