Bisping planeja última luta em março e comenta duelo com Gastelum: ‘As circunstâncias me colocaram nessa’

Derrotado por Georges St-Pierre no último dia 4 de novembro, pelo main event do UFC 217, ao ser finalizado no terceiro round e assim perder o título dos médios do Ultimate, Michael Bisping surpreendeu o mundo do MMA ao aceitar, na semana seguinte, enfrentar Kelvin Gastelum no UFC Fight Night 122, que está programado para acontecer no próximo dia 25 de novembro, pela luta principal do card em Xangai, na China.

Com 38 anos e um extenso cartel de 30 vitórias e oito derrotas no MMA profissional, o inglês falou abertamente sobre uma possível aposentadoria do esporte antes do confronto diante de GSP. Bisping, no entanto, em entrevista ao site MMA Fighting, revelou que não pretende se aposentar após a luta contra Gastelum, e que ainda tem mais um passo.

“Deus abençoe Xangai, tenho certeza de que as pessoas lá são muito legais, mas não (pretendo me aposentar no card da China). Mais uma vez, eu não tenho nada contra os chineses, eles são uma ótima raça de pessoas. Eu nunca estive na China, então por quê minha luta de aposentadoria seria na China?”, disse o lutador, que revelou em seguida que planeja fazer sua última luta no card do UFC que está programado para ser realizado em Londres, na Inglaterra, seu país de origem, no dia 17 de março do ano que vem.

“Há um card em Londres. Eu adoraria estar lá, adoraria fazer parte disso para agradecer aos britânicos que me apoiaram e ter minha última luta lá. Eu, definitivamente, quero minha última luta na Inglaterra. Eu sempre quis minha última luta lá. Estou em paz agora. Estive em paz por um longo tempo. Ao contrário do que o GSP disse, não sou um homem raivoso. Sou um homem feliz. É hora de seguir em frente e fazer algo diferente da minha vida que não fiz ainda. É por isso que quero lutar com o Kelvin, porque posso fazer melhor do que a semana passada (na luta contra GSP)”, afirmou o inglês, que ainda explicou as razões de ter aceitado o embate contra o lutador americano de origem mexicana.

“Estou aceitando essa luta porque você é um lutador bom de acordo com a última luta, e a minha última luta não foi de acordo com os planos. Me sinto bem e estou em boa forma, não tenho contusões, então por que não lutar? Eu estava planejando que a minha última luta fosse em março e apareceu esta do nada. Então, acho que vou fazer essa luta extra. Não era o plano, mas as circunstâncias me colocaram nessa situação”, concluiu Bisping.

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *