Werdum domina Tybura, vence na decisão e pede chance pelo título

F. Werdum (dir) passou poucos sustos (Foto: Reprodução Twitter ufc)

F. Werdum (dir) passou poucos sustos (Foto: Reprodução Twitter ufc)

Após demorar apenas 65 segundos para dar conta do recado no UFC 216, quando finalizou Walt Harris com uma chave de braço, Fabricio Werdum pareceu que estava disposto a dar um show mais longo à torcida. Principal astro do UFC Austrália deste sábado (18), o brasileiro teve uma performance conservadora, mas fez mais que o suficiente para superar o perigoso Marcin Tybura na decisão dos juízes laterais. Dois dos três julgadores deram os cinco assaltos para “Vai Cavalo” e um deles deu apenas o último round para o polonês.

Veja Também

P. Borrachinha ignorou desafio (Foto: Reprodução Twitter BorrachinhaMMA)
Borrachinha ignora desafio de Mutante: ‘Vem um top-10 aí’

A. Silva manda novo recado após doping (Foto: Reprodução Twitter SpiderAnderson)
Anderson trabalha com USADA para descobrir origem do doping

Pettis e Poirier fizeram luta sangrenta (Foto:Reprodução/Facebook UFC)
Poirier diz que encontrou sangue de Pettis na orelha dias após luta

O resultado das papeletas deixou claro o abismo em técnica entre Werdum e Tybura, mas o polonês pode ser elogiado pela performance valente, já que mostrou muito queixo e nunca deixou de tentar nocautear o ex-campeão, que sofreu com os chutes altos do rival, principalmente no último round, quando chegou a ficar tonto com um deles.

Werdum, porém, fez o dever de casa, defendeu sua posição no ranking dos pesados (é o atual número dois) e reiterou que se mantém na busca por mais uma chance pelo título peso pesado, que segurou entre 2015 e 2016.

“Eu tenho dois cinturões em casa, na minha estante e quero o terceiro antes de me aposentar. Toda luta do UFC, não só no peso pesado, pode acabar com um soco só. Eu parabenizo Tybura, que tem um futuro brilhante pela frente, mas quero o título”, apontou o brasileiro.

A LUTA

Confiando em sua trocação e no seu muay thai afiado, Fabricio Werdum iniciou a luta confortável em pé, acertando boas combinações em Tybura e buscando sempre o seu clinch, para soltar joelhadas e cotoveladas. Esperto, o polonês trocava de base a todo momento, tentando confundir o ex-campeão. A variedade de golpes, porém, garantiu os dois primeiros rounds para “Vai Cavalo”.

A partir do terceiro assalto, o brasileiro imprimiu ritmo mais forte, apostando no cansaço de Tybura, que começou a aceitar o clinch e a soltar golpes no vazio, facilitando o trabalho de Werdum. No quarto round, quase veio a finalização, com o faixa-preta de jiu-jitsu conquistando boa queda e trabalhando da meia-guarda. O polonês mostrou boa defesa do chão e se livrou do perigo.

No último assalto, sabendo que estava atrás nas papeletas, Tybura entrou no modo tudo ou nada e os chutes altos começaram a entrar. Werdum parecia um pouco displicente, e permitiu que o polonês crescesse, e aceitou a trocação na curta distância, que lhe oferecia perigo maior. Porém, o gás de Tybura acabou nos dois minutos finais, permitindo que o brasileiro voltasse ao round e fechasse a luta como o lutador superior que foi durante todo o combate.

 

Card principal sem brilho

B. Muhammad (esq) venceu T. Means (dir) (Foto: Reprodução Instagram ufc)

B. Muhammad (esq) venceu T. Means (dir) (Foto: Reprodução Instagram ufc)

A porção principal do UFC Austrália só teve decisões, frustrando os fãs locais, mas dando alguns momentos – principalmente no duelo entre Belal Muhammad e Tim Means. Após três rounds de muita trocação e emoção, o palestino levou a melhor sobre o norte-americano e tomou as dores dos brasileiros, desafiando Colby Covington e chamando-o de “racista”.

Dois grandes prospectos australianos também se deram bem: Alex Volkanovski abriu o card principal com uma vitória dominante, ainda que sem brilho, sobre Shane Young, impondo seu jogo de quedas contra o neozelandês, enquanto Jake Matthews interrompeu sequência de duas derrotas ao vencer Bojan Velickovic – o resultado foi polêmico, com muitos especialistas dando a vitória para o sérvio.

Joelhada voadora e guilhotina nas preliminares

T. Tuivasa (dir) acertou joelhada voadora na estreia (Foto: Reprodução Instagram ufc_brasil)

T. Tuivasa (dir) acertou joelhada voadora na estreia (Foto: Reprodução Instagram ufc_brasil)

Enquanto a porção preliminar do UFC Austrália não teve nenhum grande nome, dois grandes momentos foram o destaque. Primeiro, o estreante Tai Tuivasa fez a festa da torcida australiana com uma excelente performance diante de Rashad Coulter. Depois, foi a vez de Nik Lentz surpreender seu ex-companheiro de equipe Will Brooks.

Com sete vitórias em sete lutas, Tuivasa fazia sua estreia no Ultimate contra o testado Coulter, que vinha de grande duelo contra Chase Sherman em maio. Mostrando boa defesa de quedas e sabendo se virar quando a luta chegou ao solo, o australiano fez explodir a arena no fim do primeiro round, quando atordoou o norte-americano com uma sequência e depois soltou uma rara joelhada voadora, que deixou Coulter completamente apagado.

Já Lentz, azarão diante do ex-campeão do Bellator Brooks, vinha em desvantagem no primeiro round, quando aproveitou um descuido do rival para encaixar uma guilhotina no segundo assalto, se recuperando de derrota para Islam Makhachev e dando o terceiro revés seguido para “Ill Will”, que só venceu uma de suas quatro lutas desde que trocou o Bellator pelo UFC.

Resultados UFC Austrália

Card principal

Pesado: Fabricio Werdum venceu Marcin Tybura por decisão unânime (50-45, 50-45, 49-46)

Mosca: Jessica-Rose Clark venceu Bec Rawlings por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)

Meio-médio: Belal Muhammad venceu Tim Means por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)

Meio-médio: Jake Matthews venceu Bojan Velickovic por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)

Médio: Elias Theodorou venceu Dan Kelly por decisão unânime (30-28, 30-27, 30-26)

Peso casado: Alexander Volkanovski venceu Shane Young por decisão unânime (30-27, 2x 30-26)

Card preliminar

Mosca: Ryan Benoit venceu Ashkan Mokhtarian por nocaute técnico no R3

Leve: Nik Lentz venceu Will Brooks por finalização (guilhotina) no R2

Pesado: Tai Tuivasa venceu Rashad Coulter por nocaute no R1

Leve: Frank Camacho venceu Damien Brown por decisão dividida (28-29, 30-27, 29-28)

Palha: Nadia Kassem venceu Alex Chambers por decisão unânime (2x 29-27, 29-28)

Mosca: Eric Shelton venceu Jenel Lausa por decisão unânime (30-27, 30-26, 30-25)

Pesado: Adam Wieczorek venceu Anthony Hamilton por decisão unânime (3x 29-28)

Source: Portal da Luta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *