Marcio André vibra com tetra no Europeu e analisa volta ao peso-pena: ‘Jogo diferente, mais embolado’

Astro da nova geração, Marcio André alcançou a glória mais uma vez no Europeu de Jiu-Jitsu da IBJJF, encerrado no último fim de semana, em Portugal. De volta ao peso-pena, após dominar o GP do Berkut, o faixa-preta de Fabio Andrade precisou vencer três lutas para garantir o tetracampeonato seguido no Europeu e comemorar bastante o feito.

Marcio fez bonito na final, ao raspar duas vezes e dominar a guarda de Gianni Grippo (Alliance), que havia eliminado Isaque Paiva (Saikoo) na semifinal. Antes de lutar com Grippo, Marcinho venceu Isaac Doederlein (Alliance), pupilo da fera Rubens Cobrinha.

Após a conquista, Marcio analisou a final da divisão contra Gianni e o momento em que o faixa-preta da Alliance optou por encarar sua guarda, logo no início da luta, algo que não aconteceu nos dois últimos duelos entre eles, sempre bastantes disputados.

“Na verdade, eu sempre gostei de ficar por baixo. Tenho uma guarda muito versátil e perigosa, só que na minha categoria sempre me puxam para a guarda, então comecei a ficar por cima e acabei melhorando muito meu jogo de passagem. Sinto que meus adversários se sentem um pouco ameaçados com a maneira que passo guarda e acabam subindo agora. Isso me facilita, pois quando raspo eu fico na frente. Depois, eu sei que tenho muitas armas para poder preparar minhas passagens de guarda. Já para defender as raspagens eu sempre tive bom equilíbrio e base. Treino muito sem fazer pegadas quando estou por cima e deixo o cara tentar me raspar, isso ajuda muito no equilíbrio. Depois, quando você passa a usar os braços, fica com uma base muito boa”, comentou Marcio.

Depois de quatro meses, Marcio retornou ao peso-pena, sua categoria de origem desde a faixa azul de Jiu-Jitsu, e sentiu algumas diferenças. Uma delas foi novamente enfrentar adversários flexíveis e adeptos ao berimbolo, movimentação que ele já havia “esquecido”.

“Senti muita diferença. Os pesos-penas são mais embolados e isso eu tinha esquecido. A questão do peso eu até que fui muito bem, minha nutricionista Rita Cadiz me ajudou muito nessa parte e eu consegui bater o peso bem. Como eu disse, é muito diferente e tinha muito tempo que eu não batia esse peso. Foi satisfatório meu desempenho mas eu sei que poderia ter ido melhor. Fiz tudo que tinha que fazer para sair campeão. Foi uma boa experiência voltar aos penas, é um jogo diferente. Agora vou voltar para casa, continuar os trabalhos e melhorar ainda mais”, encerrou Marcinho, que volta à ação na próxima sexta-feira (26), quando enfrenta a fera Lucas Lepri pelo ACB JJ 10, em São Paulo (SP).

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *