Holloway comenta corte de peso e duelo cancelado contra Khabib: ‘Ano doloroso’

Campeão peso-pena do Ultimate, Max Holloway foi escalado às pressas para substituir Tony Ferguson e enfrentar Khabib Nurmagomedov, em luta que aconteceria no UFC 223. No entanto, na última sexta-feira (6), quando vinha em processo final de corte de peso, o havaiano foi impedido pela Comissão Atlética de Nova York de seguir com o procedimento, por razões médicas.

Inicialmente, Holloway não concordou com a interrupção feita pelo órgão, mas depois, ao analisar os fatos, declarou que a Comissão sempre procura o melhor pela integridade do atleta. Muitas dúvidas pairavam a respeito do real peso do lutador na semana do evento. Questionado no programa MMA Hour se estava pesando entre 80 a 86kg, Max procurou não dar uma resposta concreta.

“Eu estava enorme. Talvez, não sei (sobre estar pesando mais de 80kg). É um segredo. Eu vou deixar as pessoas adivinhando, mas nós estamos acertando os números certos. Tudo estava vindo bem, tudo estava bem no processo de corte de peso. Os médicos me checaram de manhã na pesagem de quinta-feira. E antes do Media Day, eles me examinaram de novo e continuaram a me examinar. Estávamos perdendo peso e, toda vez que estávamos perdendo peso, os médicos seguiam aparecendo. Na última tentativa forte (de atingir o peso), os médicos apareceram, me examinaram e disseram que não bati o peso estabelecido. Foi triste demais, cara. Muito triste, mas é isso. Essa coisas acontecem. Ficamos um pouco abaixo do peso. Chegamos perto, mas ainda tínhamos uma distância”, relatou Max Holloway, que ainda revelou que, provavelmente, atingiria o peso se não ocorresse a intervenção da Comissão Atlética na sexta-feira.

“Eu acho que teria (batido o peso). Eu não sei se com segurança, é um corte de peso, mas eu tinha tudo para fazer isso. Nós estávamos fazendo isso com (George) Lockhart. Eu tenho o maior respeito por Lockhart e Tyler Minton. Nesta última semana eles me deram tudo. Eu não tenho nada além de amor por eles e meus treinadores. Em seis dias, consegui a luta. Oito horas depois, eu e meus treinadores estávamos em um avião para Nova York. Você descobre quem são seus verdadeiros parceiros nessas situações”.

“Eu nunca pensei que seria impossível. Nunca passou pela minha cabeça. Foi mais difícil do que a maioria dos cortes, com certeza. Mas eu estava apenas maior, é isso. Eu tinha um pouco mais de gordura corporal do que eu costumo ter. Foram apenas novas experiências. Não foi nada louco. Eu não estava pensando: ‘Ah, eu vou morrer!’ Ou coisas assim, nunca. Isso faz parte do jogo, foi apenas mais difícil do que a maioria (dos cortes de peso). Aceitamos o desafio, conhecendo as consequências. Nós fomos lá e fizemos. Tem sido um ano doloroso para mim até agora. Eu nunca saí de uma luta na minha vida e de repente, só esse ano saí de duas (contra Frankie Edgar e Khabib). É uma pílula difícil de engolir agora”, concluiu.

Source: Tatame

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *