Rafael dos Anjos provoca Colby Convigton: ‘Quer pular fora da luta’

Dos Anjos promete acertar contas com Colby (Foto: Reprodução Facebook ufc)

Rafael dos Anjos está disposto a conquistar o cinturão interino dos meio-médios (até 77,1 kg.) na luta contra o Colby Convigton no UFC 225. A disputa que aconteceria inicialmente no Brasil, foi transferida para Chicago (EUA) por motivos de segurança, já que o norte-americano disse ter sido ameaçado de morte no país. Disposto a acertar as contas com o rival, o brasileiro alega que Colby está fazendo de tudo para não enfrentá-lo.

Veja Também

Dustin Poirier agradece ao adversário após a vitória no UFC Glendale

Vitor Belfort considera seguir lutando após UFC Rio

“Ele está fazendo de tudo para arrumar um motivo para pular fora dessa luta. Ficou exigindo mil coisas com relação à segurança no Rio, mas agora vai ter que matar no peito. Botou uma bronca, xingou todo mundo, fez isso e fez aquilo, agora vai ter que ir lá”, declarou Rafael, em entrevista ao site do canal Combate.

Apesar de perder a oportunidade de encarar o rival em casa, Dos Anjos garante que lutar nos Estados Unidos não será problema. Ele promete dar uma ‘surra’ em Convigton, independente do local.

“A luta pode ser aonde for, no Brasil ou EUA, que esse cara vai levar uma surra do mesmo jeito”, completa o brasileiro, confiante na vitória.

Entenda a confusão

A confusão envolvendo Covington e a torcida brasileira começou durante o UFC São Paulo, em outubro do ano passado. O norte-americano, que enfrentava Demian Maia no show, provocou a torcida durante toda a semana do evento e chegou a dizer que os ‘brasileiros eram animais sujos’ na entrevista ainda no octógono.

A polêmica causada pelo lutador teve troco. Na ocasião, a torcida paulista arremessou vários objetivos contra o atleta. Mas engana-se quem pensa que a confusão teve fim. Assim que os rumores sobre a luta contra Rafael dos Anjos surgiram, Covington começou a receber ameaças de morte.

O próprio atleta relatou as ameaças à ESPN norte-americana. “Foi meio difícil aceitar essa luta. Sei que as pessoas me querem morto lá (no Brasil). Recebi muitas ameaças de morte. Me falaram que estão oferecendo dinheiro pela minha cabeça, para me matarem antes que eu suba ao octógono”.

O receio de Covington somada a imensa confusão causada por McGregor no Media Day do UFC 223, onde três lutas foram canceladas, o Ultimate achou por bem mover a disputa pelo título interino dos meio-médios para Chicago.

Source: Portal da Luta

Professor e árbitro, Renato Panda relembra blitz policial, agressão e diz: ‘O Jiu-Jitsu me ajudou o tempo todo’

Por Diogo Santarém

Professor da equipe GFTeam e árbitro em diversos campeonatos da arte suave, o faixa-preta Renato Sousa, popularmente conhecido como “Panda”, passou por uma difícil situação em novembro do ano passado. No dia 15 do mês citado – e assim completando cinco meses no último domingo -, Renato, de 41 anos, voltava de carro da praia do Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro, com um casal de amigos. Panda, que estava no banco de trás, percebeu que o veículo foi parado por uma blitz da polícia. A abordagem, no entanto, aconteceu de forma truculenta, como contou o árbitro em entrevista à TATAME.

“Estava passando com um casal de amigos brancos na Estrada dos Bandeirantes. O carro já estava passando pela blitz, quando o policial me avistou no banco de trás, deitado, e mandou parar o carro. Nós descemos e ele veio fazer abordagem correta, perguntando se tínhamos arma, drogas ou bebidas. Aí começou a me revistar, tudo tranquilo. Eu estava com uma bermuda de tactel com bolso do lado, ele colocou a mão no meu bolso para tentar abrir e eu disse que eu abria e tirava o que tinha ali, que era só minha carteira, e se caso ele quisesse abrir meu bolso, teríamos que ir até delegacia para isso. Ele ficou tentando forçar para abrir ali mesmo e eu disse que ele não ia abrir e segurei o bolso da bermuda. Foi quando ele tentou me dar uma kimura, e na hora que ele me deu essa kimura, eu estiquei o braço para fazer a defesa, sem deixar ele me imobilizar. Ele não estava normal, ele estava transtornado, e depois que eu fiz a defesa, ficamos um olhando para o outro, e eu abaixei a cabeça para pegar o que tinha no bolso. Foi aí que ele me deu um tapa na cara. Eu não entendi nada e ele começou a me xingar, falou os palavrões me dando soco, pedindo para encostar no carro, me chamando de ‘crioulo’, de marginal, de safado, falando que eu tava vindo da praia enquanto ele tava trabalhando. Enquanto ele me batia, eu falei que se ele quisesse bater, ele podia bater, só que saindo dali, eu ia direto para delegacia fazer queixa, e quanto mais eu falava isso, mais ele me batia. O outro tava na minha frente apontando o fuzil pra mim, falando que se eu quisesse ir na delegacia, podia denunciar. Meu amigo conseguiu intervir, falando que ele estava se equivocando ali, que não éramos bandidos e marginais, e me colocou dentro do carro. Quando ele chamou meu amigo, falou que ia liberar a gente, mas se eu levasse aquilo adiante, seria cobrado do meu amigo, aí pegou o número do meu amigo, endereço, etc. Fomos embora e fui na delegacia no mesmo dia, e lá eles só me atenderam porque meu pai tinha conhecimento. Antes disso, não tinham me atendido, e depois me mandaram para o IML”, relembrou.

No outro dia, eu fui na corregedoria, graças ao contato de um amigo meu lá, porque tentaram dificultar, mas tenho alunos policiais, amigos, e eu consegui ser atendido na CGU e no outro dia eu fui na Corregedoria da Polícia Militar, onde tentaram dificultar também, mas graças ao meu conhecimento, consegui ser atendido. Estamos esperando aqui no que vai dar, né? Se vai para frente… Esperamos a justiça”, contou o conhecido faixa-preta.

Confira outros trechos da entrevista com Renato Panda:

– Passado algum tempo do ocorrido, como você está?

Eu estou com uma dor imensurável, não dá para explicar… Estou com uma dor mesmo. Tenho 41 anos, sou trabalhador e nunca passei por isso… Meus alunos perguntando se eu tinha sido preso, porque eu fui preso. As crianças da comunidade me perguntando isso. E para explicar esse abuso de autoridade para as crianças? Isso mexe com a minha vida, comigo, com meu psicológico. Eu não estou bem, de verdade, estou me sentindo coagido… Ninguém me ameaçou, mas eu sinto. Não sei o que pode vir acontecer comigo, não hoje, não agora que está na mídia, mas futuramente. Eu não conheço essas pessoas, elas podem querer cobrar de uma outra forma e eu estou preocupado com a minha integridade, a integridade da minha família, dos meus amigos. Eu estou mal, mas eu não vou desistir, eu quero justiça, quero levar isso até o fim e não vou parar até os que responsáveis sejam penalizados. Eles têm que ser penalizados com pena máxima decidida pela Justiça, com certeza. Eles são responsáveis por isso, queremos justiça e cobrar do Governo do Estado isso aí, porque o governo que coloca policiais despreparados na rua, é o fato.

– Como acredita que o Jiu-Jitsu tenha te ajudado no momento?

O Jiu-Jitsu foi primordial, fundamental, porque se não fosse ele, pode ter certeza que eu não estaria aqui conversando com você. Vários amigos me perguntaram como eu resisti a tudo aquilo, e falando para o cara que é da parte daquilo, o Jiu-Jitsu ali funcionou o tempo todo, como se eu tivesse numa luta e dei aquele grito no início, de garra, de ‘vamos começar a guerra’. Eu pensava em reagir, mas eu sou professor, sou educador. Se eu reagisse, como explicaria isso para os meus alunos? Mas eu trabalhei no Jiu-Jitsu, na hora que você está naquele sufoco, tem que ter sabedoria, saber o momento certo para defender, e eu tratei aqueles momentos como uma luta, explodia gritando. Eu estava numa paz de espírito, como no Jiu-Jitsu, e eu sou feliz no que eu faço, isso é o mais importante.

– Posteriormente, como o Jiu-Jitsu está te ajudando?

Posteriormente, o Jiu-Jitsu está me ajudando o tempo todo. O Jiu-Jitsu é uma religião, é sensacional. Todo mundo me abraçou, todos me conhecem e sabem que eu sou tranquilo. Eu gosto de somar sempre. O Jiu-Jitsu está me ajudando demais, essa repercussão toda que está tendo é graças ao Jiu-Jitsu. Talvez, se eu não fosse professor de Jiu-Jitsu, não ia repercutir tanto assim, e sabemos que isso é corriqueiro, isso acontece toda hora com as pessoas da periferia, tanto brancas como negras, mas as negras são mais atacadas, e isso é provado estatisticamente, mas acontece o tempo todo com as pessoas de periferia. Eu também sou de periferia, venci na vida por causa do Jiu-Jitsu, e após esse acontecimento, o Jiu-Jitsu me fez dar mais um grande passo na vida, servindo de exemplo para todos.

– Como acredita que o Jiu-Jitsu pode ajudar na formação policial?

O esporte para sociedade é importantíssimo, é fundamental na questão de qualidade de vida. Eu dou aula em escola, e depois que eu entrei na escola, vi que a arte marcial em si é diferenciada dos outros esportes, e tinha que ser aplicadas em todas as escolas, porque toda arte marcial é educadora e agrega valores para a sociedade, forma caráter, opiniões e dá oportunidade. Quando nós mesmos vemos crianças daqui indo para Abu Dhabi, vemos aquela criança que saiu da comunidade, quando que ela imaginaria que iria para Abu Dhabi? Fazendo outra arte dá, mas é mais difícil. O Jiu-Jitsu está ganhando o mundo, por isso digo que todas as escolas teriam que ter o Jiu-Jitsu, assim como em Abu Dhabi, que é obrigatório, no Catar, nas Forças Armadas. E aqui no Brasil alguém tinha que levar o Jiu-Jitsu para dentro da polícia. Seria fundamental dentro da corporação, o Jiu-Jitsu trabalharia dentro da cabeça desses caras, e os policiais que têm esse treinamento, fica nítido a diferença entre eles e os outros que não tem acesso ao Jiu-Jitsu. Na polícia, isso é sensacional, eles vão mudar da água para o vinho, desde as abordagens, coerências. No Jiu-Jitsu, ou a pessoa não gosta ou ela ama, mas seria muito importante se o Jiu-Jitsu fosse obrigatório na polícia e mudaria muito a postura deles, com toda certeza.

– Como professor e cidadão, qual lição você tirou disso tudo?

Esse acontecimento serviu para abrir minha mente para muitas coisas, porque quando vemos na televisão, não levamos tão a sério. Eu mesmo não levava tão a sério até acontecer comigo, agora isso já aconteceu comigo, com colegas. Disso, eu tiro que tem que ser sempre uma pessoa de bem, continuar sendo essa pessoa de bem que eu sou, orientar outros cidadãos, orientar o máximo de pessoas que eu conseguir, e não se calem, independentemente da violência, de onde a pessoa seja também. Tem que denunciar, dar parte, porque se continuar calado, vai continuar acontecendo, eu não queria que tivesse acontecido comigo, mas aconteceu e hoje eu vejo dessa forma. Eu não vi tudo nessa vida e vou morrer sem ver, mas eu nunca imaginei que aconteceria isso comigo, nem de quando eu era moleque de baile funk, aprontava muito e não acontecia isso, e depois de virar pai de família, ser humilhado, ser chamado de ‘crioulo’, de marginal, safado, é difícil…

Source: Tatame

Para ‘apagar’ 2017, Gabi Garcia retorna aos cages contra campeã russa no ROAD FC 47, em maio

Um dos principais nomes da história do Jiu-Jitsu feminino, Gabi Garcia decidiu mudar de ares e, desde dezembro de 2015, se aventura no MMA sob a bandeira do Rizin Fighting Federation (Rizin FF). Porém, após conquistar quatro vitórias nas suas quatro primeiras lutas, a brasileira passou por um período turbulento. Disposta a deixar isso no “passado”, Gabi retorna ao cage no próximo dia 12 de maio, quando entrará em ação no ROAD FC 47, em Pequim, na China. Sua adversária será a campeã russa Veronika Futina, de 31 anos.

A luta foi anunciada pelo próprio ROAD FC, nesta segunda-feira (16). Gabi, porém, atuará em forma de “empréstimo” pelo Rizin FF, organização que defende desde a sua estreia no MMA. Aos 32 anos, a faixa-preta soma quatro vitórias – dois nocautes e duas finalizações – e um “No Contest” na carreira, porém, não vence desde dezembro de 2016, quando superou a japonesa Yumiko Hotta. Depois, Gabi retornou em julho de 2017, contra Oksana Gagloeva, em luta que terminou sem resultado após a brasileira acertar o olho da russa.

No último episódio, Gabi iria enfrentar Shinobu Kandori, de 53 anos, em dezembro do ano passado, entretanto, apareceu com 12,7kg a mais do que o acordado – que era de 95kg – na pesagem e viu o duelo ser cancelado pela organização do Rizin FF. Posteriormente, em uma cena marcante, Gabi Garcia subiu ao ringue e, chorando mundo, pediu desculpas aos fãs, revelando um problema de saúde na reta final do camp como responsável pela falha.

Adversária da brasileira, a russa Veronika Futina tem 31 anos de idade e irá fazer a sua estreia no MMA. Futina, porém, é quatro vezes campeã russa de combate corpo-a-corpo e vem treinando com duas ex-adversárias de Gabi, Oksana Gagloeva e Anna Malyukova.

Source: Tatame

Dustin Poirier agradece ao adversário após a vitória no UFC Glendale

Poirier (esq.) agradece Gaethje. Foto: Reprodução / Facebook / UFC

Dustin Poirier e Justin Gaethje travaram uma verdadeira batalha, no último sábado (14), na atração principal do UFC em Glendale, evento realizado no Arizona (EUA). Os atletas trocaram golpes de forma intensa dentro do octógono até que Dustin pôs fim a luta como uma série de socos no quarto round.

Veja Também

Vídeo: Veja os melhores momentos da batalha entre Dustin Poirier e Justin Gaethje

Após a luta, Poirier mostrou que a disputa ficou apenas no octógono. Ele fez questão de agradecer a Gaethje pela batalha por uma rede social.

“Obrigado pela batalha! Você é um guerreiro”, escreveu Dustin Poirier, em sua conta no Twitter.

https://platform.twitter.com/widgets.js

O resultado marcou a 23ª vitória da carreira de Dustin Poirier como profissional. Além disso, o lutador pode ter garantido a chance de ser o primeiro desafiante ao cinturão dos leves (até 70,3 kg), em posse do russo Khabib Nurmagomedov.

Source: Portal da Luta

Isaque Bahiense vence a segunda seguida no ACB JJ e destaca evolução no Jiu-Jitsu: “Perdendo a vaidade para ter bons frutos”

Isaque Bahiense a caminho das costas de Claudio Calasans – Foto: Reprodução

Isaque Bahiense começou o ano com grande estilo, com uma medalha dourada de respeito da IBJJF, no Europeu, e as recentes vitórias seguidas sobre adversários do calibre de Otávio Sousa (Gracie Barra) e Claudio Calasans (Atos), respectivamente, no Absolut Championship Berkut Jiu-Jitsu (ACBJJ).

Na recente edição do ACB JJ, encerrado no último sábado, 14 de abril, em Almaty, no Cazaquistão, o faixa-preta da Alliance dominou todos os três rounds contra Claudio Calsans para conquistar a segunda vitória seguida na organização. A seguir, Isaque detalha os passos do triunfo e traça os próximos planos: buscar o cinturão da categoria até 85kg.

“Eu busquei a luta em todos momentos e senti-me bem em todas as posições que caímos. A luta foi toda minha. Venho de duas vitórias importantes em cima de campeões mundiais e tive boas atuações. Agora é hora de buscar o cinturão”, conta o embalado Isaque.

Faixa-preta desde 2016, Isaque mostra evolução a passos largos no Jiu-Jitsu. E qual seria o ingrediente dessa crescente na modalidade? Bom, como ele mesmo diz, o primeiro passo é deixar a vaidade de lado.

“Eu pratico Jiu-Jitsu há 11 anos e sempre me preparei para esses momentos. Amo o trabalho duro. Esses resultados vêm de uma equipe de ótimos profissionais que trabalham comigo também. É uma confiança inabalável. Tenho começado por baixo, de costas no chão, em  todos os treinos. Perdendo a vaidade para ter bons frutos”, diz Isaque.

Isaque volta a lutar em Guam, no sul das Ilhas Marianas, neste fim de semana e depois, no World Pro, em Abu Dhabi.

“Meu preparador esportivo Rafael Ribeiro e toda equipe de profissionais que trabalham comigo me ajudaram muito nessa parte, no meu planejamento. Estou me sentindo muito bem com o planejamento que montaram. Agora é seguir e ter muita disciplina. Estamos  voando (risos)”, encerra o campeão.

O post Isaque Bahiense vence a segunda seguida no ACB JJ e destaca evolução no Jiu-Jitsu: “Perdendo a vaidade para ter bons frutos” apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Na primeira de três defesas de título, Felipe Preguiça finaliza e mantém cinturão do ACB Jiu-Jitsu

Preguiça venceu ao finalizar – Foto: Divulgação/ACBJJ

A primeira batalha já foi vencida. Campeão absoluto do ADCC, Felipe Pena, o Preguiça, começou a sua temporada com uma grande perfomance no ACB Jiu-Jitsu, que aconteceu no último final de semana no Cazaquistão. Fazendo a sua primeira defesa de cinturão do evento, título conquistado no ano passado, Preguiça venceu Adam Wardziński no seu melhor estilo: pegando as costas e encaixando o estrangulamento, obrigando Wardziński a bater.

“Achei meu desempenho muito bom e sai satisfeito com a minha performance. O ACB é um evento que está revolucionado o Jiu-Jitsu e vou fazer o meu máximo sempre para manter esses cinturões”, disse Preguiça, que também é o dono do cinturão sem kimono do evento russo.

Mas Preguiça não teve muito tempo para comemorar. Ele já embarcou para Guam, onde irá defender neste sábado, dia 22 de abril, o cinturão do Marianas Open. Logo em seguida ele embarca para Abu Dhabi, onde também irá defender seu título do World Pro, evento que acontece no dia 28 de abril.

“Tenho outros dois grandes desafios nas próximas duas semanas. Estou bem treinado e espero manter também o cinturão do Marianas Open e conquistar novamente o título do World Pro. Essas competições estão sendo muito boas, pois vou pegar um ritmo forte para o Mundial”, encerrou Preguiça, que fecha o primeiro semestre lutando o Mundial da IBJJF, no início de junho.

O post Na primeira de três defesas de título, Felipe Preguiça finaliza e mantém cinturão do ACB Jiu-Jitsu apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Inscrições para quinta edição do Simpósio Nacional de Lutas em São Paulo seguem a todo vapor; saiba

Já estão abertas as inscrições para a 5ª edição do Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate. Este ano, o tradicional evento acontece na capital paulista, na região do Butantã, entre os dias 23 e 24 de junho. Destinado a atletas, técnicos, estudantes e profissionais de saúde, a edição terá atividades paralelas como feira de livros, exposição e aulão de MMA. Confira a programação completa aqui.

“Desde a primeira edição em 2010, muito se avançou, hoje, além de cursos teóricos, contamos com seis clínicas práticas, mesa-redonda, oficina de avaliação física e exposição histórica. Outro grande atrativo é o lançamento de novos livros no segmento e a feira de livros com condições diferenciadas de aquisição. A ideia é construir diversas pontes de conhecimento entre essas pessoas que vêm de todos os estados para participar do evento. Vale ressaltar que, desde 2016, introduzimos a mostra científica. Assim, estudantes e profissionais se tornaram protagonistas, com apresentação de resumos e trabalhos completos. Esse diálogo e troca de informações é um dos pilares de sucesso”, afirmou professor Leandro Paiva, organizador do evento.

Além de sete cursos, oficina de avaliação física e mesa-redonda, haverá seis clínicas práticas. Um dos destaques do evento será a V Mostra Nacional de Produção Científica em Lutas, Esportes e Atividade Física, que contará com a apresentação de trabalhos científicos e uma importante interação entre acadêmicos e profissionais da área.

O evento contará ainda com a participação internacional do Professor Paco Garcia, de Cuba, que ministrará palestra teórica e prática sobre a “Preparação Física Integrada para Ateltas de Nível Mundial e Olímpico”. Dentre os palestrantes brasileiros estão: Prof. Dr. Bernardo Neme Ide, Prof. Dr. Osmar Pinto Neto, Prof. Dr. Fabrício Del Vecchio, Prof. Dr. Heraldo Simões, Prof. Me. Alberto Santos, Mestre Celsinho Venicius e Prof. Leandro Paiva.

SERVIÇO:

V Simpósio Nacional de Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate.

Dias 23 e 24 de Junho – Butantã – SP
Programação e Inscrições: aqui
Informações: (11) 96342-6818 (Tel e Whatsapp)

Source: Tatame

Vitor Belfort considera seguir lutando após UFC Rio

V. Belfort (foto) considera lutar após UFC 224. (Foto: Reprodução Facebook ufc)

Vitor Belfort anunciou sua aposentadoria do MMA em janeiro no UFC St. Louis, mas seu rival, Uriah Hall passou mal durante o corte de peso e deixou o brasileiro sem adversário. O ‘Fenômeno’ então agendou sua luta de despedida, em casa, contra o compatriota Lyoto Machida no UFC 224, dia 12 de maio, no Rio de Janeiro. Porém, o brasileiro já cogita rever a possibilidade e continuar a lutar.

Veja Também

McGregor dispara como favorito para revanche contra Mayweather

Com preços de R$ 125 a R$ 6 mil, ingressos para o UFC 224 começam a ser vendidos nesta quarta

Dana White coloca Poirier como possível desafiante de Khabib

Em conversa com jornalistas antes do UFC 224, Belfort não cravou que o combate contra Lyoto será sua última apresentação. Ele fez questão de deixar em aberto a possibilidade de continuar a lutar após o evento no Rio.

“Porque não (continuar a lutar)? Não sabemos o dia de amanhã. Hoje não temos nada de aposentadoria”, declarou Vitor.

O lutador brasileiro ainda comentou como será o combate em sua cidade natal e o duelo contra seu amigo e ex-parceiro de treinos Lyoto machida.

“É muito bom lutar no Rio. Fico muito feliz de poder estar lutando na cidade onde meu sonho começou”, disse.  “Ali dentro não tem muita amizade não. Vai ser um querendo ganhar do outro na luta”, encerrou.

Vitor Belfort tem um histórico profissional de 26 vitórias e 13 derrotas. O brasileiro foi o lutador mais jovem a vencer uma luta no UFC, em 1997, aos 19 anos. O Fenômeno ainda conquistou um torneio de pesos pesados, vencendo dois adversários na mesma noite e faturou o cinturão dos meio-pesados, em 2004.

Source: Portal da Luta

Andrew e Luiza Monteiro brilham em Opens, Gutemberg é campeão no F2W e ‘Pega-Leve’ vence no SUG 7

No último fim de semana (14 e 15), aconteceram importantes campeonatos de Jiu-Jitsu da IBJJF. Na Região Sul do Brasil, foi realizado o Curitiba Fall Open, que teve como principal destaque Fellipe Andrew, da Zenith BJJ, que faturou o ouro duplo na competição. O lutador venceu primeiro a categoria dos pesados e, na sequência, o título no absoluto.

Confira todos os campeões do Curitiba Fall, aqui

Na categoria peso-galo, Claudio Henrique foi o campeão. Já na divisão dos plumas, o ouro ficou com Eduard Richard. Nos penas, Sebastian Goin subiu no lugar mais alto do pódio, enquanto nos leves Rafael Mansur brilhou e conquistou a cobiçada medalha dourada.

Voltando p casa ! 🏠🚙 #zenithbjj #amizade #obrigadoDeus #trabalhoemequipe

Uma publicação compartilhada por Fellipe Andrew (@fellipeandrew) em

//www.instagram.com/embed.jsNos médios, Eliezer Skasf ficou com a primeira posição, enquanto nos meio-pesados e superpesados, as medalhas de ouros foram para Edson Antônio e Felipe Perez, respectivamente. Já nos pesadíssimos, Herico Albuquerque garantiu a primeira posição. O campeonato, por sua vez, não teve competição entre as mulheres na faixa preta.

Luiza Monteiro brilha em Boston

Em Massachusetts, nos Estados Unidos, foi realizado o Boston Open, que ao contrário do Curitiba Fall, não teve a participações de faixas-preta no adulto entre os homens. No entanto, as mulheres foram ao tatame, deram show e proporcionaram bons confrontos.

Confira todos os campeões do Boston Open, aqui

Mãe #raizes #cabocla ❤ Mom #roots #womenpower 💪🏻🐣🐥

Uma publicação compartilhada por Luiza Monteiro (@luizamonteirobjj) em

//www.instagram.com/embed.jsA casca-grossa Luiza Monteiro ficou com o ouro duplo ao não ter adversárias na sua categoria, a dos médios, e ao derrotar Claudia do Val, ouro nos meio-pesados, na decisão do disputado absoluto. Já as feras Nathiely Jesus e Alison Tremblay foram campeões nas categorias dos pesados e superpesados, respectivamente, fechando o evento.

Gutemberg leva cinturão do F2W

No Fight To Win 70, em Baltimore, nos Estados Unidos, na luta principal, após uma batalha, Gutemberg Pereira conquistou o cinturão da organização ao vencer Tim Spriggs na decisão dos árbitros. O lutador vem se destacando no cenário internacional.

Abençoado🙌🏽 Esse final de semana fiz a luta principal do @f2wpro 70 contra um atleta duríssimo e graças a Deus sair com a vitória e com essa cinta bonita! Estou muito feliz com a evolução que eu estou tendo tanto técnica, física e mental e resultados como esse só coloca mais gás no tanque para continuar trabalhando duro. Obrigado a todos pelo suporte! || @albinoandpreto @arvieg • @rvcasport • @thearmbarsoapcompany • @gfteamtoledo || Blessed🙌🏽 This last Friday I fought the main event for the @f2wpro 70 and I got the W also this beautiful belt. I fought really well in my option, I fought smart and that was enough to take the belt home. I am very happy with my evolution in a lot aspects as technical, physical and mental and good results like this just encourage me to work hard to keep this up. Thanks everyone for the support! Osss 📸 @mikecalimbas #éoBerg #GFTeamToledo

Uma publicação compartilhada por Gutemberg Pereira (@gupereirabjj) em

//www.instagram.com/embed.js Scherner vence luta principal do SUG 7

Já a luta principal do Subimisson Underground 7, realizado em Oregon, também nos Estados Unidos, teve um confronto entre brasileiros. Fabiano Scherner, ex-UFC, levou a melhor sobre o compatriota Bruno Bastos. Vale lembrar que o evento é capitaneado pelo polêmico Chael Sonnen, atualmente atleta de MMA do Bellator, e teve outras boas lutas.

Source: Tatame

McGregor dispara como favorito para revanche contra Mayweather

McGregor e Mayweather no UFC? (Foto: ReproduçãoTwitter ufc_brasil)

Em agosto do ano passado, o mundo parou para assitir a luta entre o pugilista mais vitorioso de todos os tempos, Floyd Mayweather, e a estrela em ascenção do MMA, Conor McGregor. Habituado às regras do boxe, Mayweather soube controlar o ímpeto inicial do irlandês para vencer por nocaute técnico no 10º assalto. Na ocasião, o norte-americano deu por encerrada sua bem sucedida carreira de 50 lutas sem nenhuma derrota, mas as últimas notícias veiculadas pela imprensa internacional dão conta de um possível retorno do campeão.

Veja Também

Revanche entre Floyd Mayweather e Conor McGregor no UFC teria regras especiais, diz site

Mayweather começa a treinar MMA e crava: ‘Já sou o maior nome’

Dana White coloca Poirier como possível desafiante de Khabib

De acordo com o “The Sports Journal”, uma revanche contra McGregor já estaria acordada, e com regras especiais. A reportagem diz que os lutadores se enfrentarão descalços, utilizando luvas de quatro onças, próprias do MMA, em cinco rounds de cinco minutos, com o limite de  peso da divisão dos leves, 70kg. A exemplo da primeira luta, golpes como cotoveladas, chutes e joelhadas não serão permitidos, mas os clinches estarão liberados.

Na sua opinião, o vaidoso Mayweather colocará em risco seu cartel invicto por alguns milhares de dólares a mais na conta bancária? E McGregor, que nos últimos dias virou caso de polícia ao agredir colegas em Nova Iorque, estaria disposto a lutar uma revanche? As respostas para estas perguntas virão nas próximas semanas, mas no Oddsshark.com você já pode antecipar suas apostas e obter as melhores margens de retorno.

Informações desencontradas aumentam o suspense

As especulações sobre uma possível revanche começaram tão logo Maywether foi declarado vencedor na T-Mobile Arena, em Las Vegas, e os lutadores, que como poucos dominam a arte da auto-promoção, fizeram questão de manter a possibilidade no ar.

O pugilista chegou a postar em suas contas no Twitter e no Instagram um video em que aparecia em um octógono, e se auto-denominando Floyd “Money” Mayweather, perguntava em tom desafiador a uma casa de apostas irlandesa quais seriam as suas chances. McGregor respondeu, declarando estar pronto e animado, mas ressaltou que já havia entrado no jogo de Mayweather, e agora seria a vez do norte-americano entrar no seu, ou seja, a luta deveria acontecer sob as regras do MMA. O próprio boxeador, no entanto, jogou uma ducha de água fria nos fãs ao responder que já havia vencido Mcgregor, quando perguntado sobre o assunto.

A posição do presidente do UFC, Dana White, também é ambígua. Em um primeiro momento, ainda que em tom de brincadeira, o chefão parecia aberto à ideia, dando a impressão de que as negociações com o agente de Mayweather, Al Haymon, estavam em andamento.

“Al Haymon e eu temos um relacionamento muito bom. Nós sempre conversamos. Então vamos ver. Estou interessado e, obviamente, o Floyd também está. A última vez que ambos estiveram interessados em algo… vocês sabem o que aconteceu. E eu sei que o Conor também quer”, declarou.

Ao tomar conhecimento das últimas especulações, no entanto, negou de forma taxativa, com uma postagem no Twitter em que dizia que nada disso está sequer próximo da verdade e que aquela era a coisa mais estúpida que já havia ouvido.

A confusão armada pelo ex-campeão dos pesos-leves, que acompanhado por cerca de 20 pessoas atacou um ônibus que transportava atletas que lutariam no UFC 223, azedou a relação com o dirigente, colocando em dúvida a possibilidade da revanche ser organizada pelo UFC. Ainda no calor dos acontecimentos, White deu declarações fortes.

“Neste momento, não quero fazer negócios com Conor. Claro que não. Você gostaria de fazer negócios com Conor McGregor agora? Você quer ficar correndo atrás dele por entrevistas e comprar suas lutas? Quer? Não. Acho que ninguém vai querer nada com Conor McGregor neste momento, todo mundo vai estar enojado com ele.”

May-Mac movimenta milhões

As exorbitantes cifras envolvidas em um novo encontro entre Mayweather e McGregor ainda podem demover o manda-chuva no UFC de sua ideia de não voltar a trabalhar com o irlandês. A primeira luta rendeu cerca de US$ 600 milhões em venda de ingressos, patrocínios e direitos de transmissão internacional, além de 4,3 milhões de compras de pay-per-view somente nos Estados Unidos. Uma mina de ouro da qual nenhum dirigente se daria ao luxo de abrir mão.

Antes da confirmação oficial, porém, você já pode começar a fazer suas apostas, e assim aproveitar as margens de retorno mais convidativas oferecidas para quem investe com antecedência. As cotas do Oddsshark.com apontam amplo favoritismo para McGregor, que se vencer proporcionará um rendimento de 11%. Em um fato possivelmente inédito em sua carreira, Mayweather se apresenta como completo azarão, com seu triunfo rendendo R$ 6,25 por real apostado. As apostas terão validade se a luta acontecer em 2018, em um evento chancelado pelas regras do MMA.

Source: Portal da Luta