UFC Glendale: as melhores opções de aposta para o evento

Gaethje encara Poirier na luta principal do UFC Glendale. Foto: Divulgação

Na contagem regressiva para o UFC Glendale, que acontece na noite deste sábado (14), no Gila River Arena, no Arizona, analisamos na última quarta-feira as chances de sucesso dos cinco brasileiros que lutarão no evento. Agora, é chegada a hora de conhecermos as melhores opções de aposta para os combates do card principal com base nas cotas do Oddsshark.com.

A abertura ficará por conta das pesos-palha Michelle Waterson e Cortney Casey. O segundo combate colocará frente a frente o nigeriano Israel Adesanya e o italiano Marvin Vettori. A co-luta principal terá o meio-médio brasileiro Alex Cowboy encarando o norte-americano Carlos Condit, e a grande atração da noite será o encontro entre os pesos-leves Dustin Poirier e Justin Gaethje, que prometem um combate de tirar o fôlego.

Confira os prognósticos e prepare-se para faturar.

Michelle Waterson x Cortney Casey

As norte-americanas Michelle Waterson e Cortney Casey buscam recuperação após resultados negativos em suas últimas lutas.

Sétima colocada no ranking da divisão até 52 kg, Waterson teve um início promissor no UFC, e se notabilizou pelo bom trabalho na luta de chão. Suas duas vitórias mais marcantes, contra Angela Magana, na final do TUF 21, e Paige VanZant, no Fight Night Sacramento, foram por finalização. Porém, a peso-palha foi derrotada em suas duas lutas do ano passado, contra Rose Namajunas e Tecia Torres, e ficará bem longe da disputa do cinturão caso sofra um novo revés.

Cortney Casey, por sua vez, é uma lutadora bastante irregular, e apesar de demonstrar bastante potencial, ainda precisa se desenvolver. Ela possui um cartel de sete vitórias e cinco derrotas, e levou a pior em seu último combate, contra Felice Herrig, no UFC 218. Atualmente, ocupa a 12ª posição no ranking da categoria.

A luta deve ser bastante equilibrada, mas Casey conta com um ligeiro favoritismo, proporcionando um retorno de R$ 1,77/R$ 1,00 para a vitória, segundo o Oddsshark.com. Caso Waterson consiga dar a volta por cima, o apostador receberá o dobro do valor aplicado.

 Israel Adesanya x Marvin Vettori

A luta entre os pesos-médios Israel Adesanya e Marvin Vettori será um interessante tira-teima entre dois estilos bastante distintos. O nigeriano se destaca pela técnica apurada no kickboxing, além de ser um bom pugilista. Já o italiano, tem sua origem na arte suave, é faixa marrom de jiu-jitsu e especialista na luta de chão.

Este será o segundo compromisso de Adesanya pelo UFC. No combate anterior, ele nocauteou Rob Wilkinson no UFC 221, na Austrália, e assim manteve imaculado seu notável cartel de 12 vitórias e nenhuma derrota.

Vettori vem de um empate com Omari Akhmedov no UFC 219, e em suas três lutas anteriores pela franquia de Dana White, venceu Alberto Uda e Vitor Miranda, mas foi derrotado por Antônio Carlos Júnior por decisão unânime no UFC 207.

A tendência é que a agilidade e a boa trocação de Adesanya se sobreponham à dureza de Vettori, e por isso o nigeriano é favorito. De acordo com o Oddsshark.com, um triunfo de Adesanya pagará R$ 1,40/R$ 1,00, enquanto o italiano devolverá R$ 2,95 por real apostado se conseguir levar a melhor.

Dustin Poirier x Justin Gaethje

A grande atração da noite será um combate que está entre os mais aguardados do ano, entre os pesos-leves Dustin Poirier x Justin Gaethje.

O primeiro já está na franquia desde 2011, e vem de uma consagradora vitória por nocaute sobre Anthony Pettis, naquela que foi considerada a melhor luta do UFC Fight Night de Virgínia, em novembro do ano passado.Possui um cartel de 22 vitórias, cinco derrotas e um empate.

Justin Gaethje, por seu turno, é um fenômeno World Series of Fighting que busca seu lugar ao sol no UFC. Pela antiga franquia, o norte-americano chegou a emendar dez vitórias consecutivas , e conquistou o cinturão de sua categoria. Na mais importante divisão do MMA, Gaethje estreou com um nocaute sobre Michael Johnson no TUF Redemption Finale, mas passou a ser questionado depois de perder de forma contundente para Eddie Alvarez no UFC 218. Seu cartel, no entanto, continua sendo altamente positivo, 18 vitórias e uma derrota.

A experiência de Poirer fala mais alto no mercado de apostas, garantindo um rendimento de 71% para a vitória. Contudo, Gaethje sabe que seu futuro depende desta luta, e pode ser uma opção de investimento mais interessante, já que segundo o Oddsshark.com, devolverá R$ 2,10 por real apostado se conseguir vencer.

UFC Glendale

Card Principal

Peso-leve: (R$ 1,71) Dustin Poirier x Justin Gaethje (R$ 2,10)

Peso-meio-médio: (R$ 2,60) Carlos Condit x Alex Oliveira (R$ 1,50)

Peso-médio: (R$ 1,40) Israel Adesanya x Marvin Vettori (R$ 2,95)

Peso-palha feminino: (R$ 2,00) Michelle Waterson x Cortney Casey (R$ 1,77)

Card Preliminar

Peso-médio: (R$ 3,10) Tim Boetsch x Antonio Carlos Júnior (R$ 1,37)

Peso-meio-médio: (R$ 1,58) Muslim Salikhov x Ricky Rainey (R$ 2,40)

Peso-mosca: (R$ 1,69) Wilson Reis x John Moraga (R$ 2,15)

Peso-médio: (R$ 2,10) Krzysztof Jotko x Brad Tavares (R$ 1,71)

Peso-leve: (R$ 1,20) Gilbert Burns x Dan Moret (R$ 4,50)

Peso-mosca feminino: (R$ 1,83) Shana Dobson x Lauren Mueller (R$ 1,90)

Peso-meio-médio: (R$ 1,90) Dhiego Lima x Yushin Okami (R$ 1,83)

Peso-pesado: (R$ 1,27) Arjan Bhullar x Adam Wieczorek (R$ 3,70)

Peso-galo: (R$ 1,74) Matthew Lopez x Alejandro Pérez (R$ 2,05)

Peso-galo: (R$ 1,25) Luke Sanders x Patrick Williams (R$ 4,00)

Source: Portal da Luta

Lucas Hulk mira cinturão do ACB JJ e no título mundial da IBJJF 2018

Hulk segue embalado – Foto: Divulgação

Natural de Roraima, no Norte do País, Lucas “Hulk” Barbosa, aos 26 anos, é uma das estrelas do Jiu-Jitsu atual. O que comprova isso são suas recentes atuações que lhe renderam títulos absolutos no Europeu e Mundial Sem Kimono da IBJJF, medalha de ouro no Pan da IBJJF e diversas conquistas nos opens da Federação na faixa-preta desde a temporada passada, em 2017.

Embalado pelas recentes conquistas, o faixa-preta da Atos quer aumentar a coleção de medalhas e troféus com mais uma vitória no Absolute Championship Berkut Jiu-Jitsu (ACB JJ), que chega a sua 12ª edição neste sábado, dia 14 de abril, em Almaty, no Cazaquistão.

Lucas encara o sempre perigoso Jackson Sousa (Checkmat) numa das 16 superlutas. O duelo será divido em três rounds de cinco minutos. A seguir, o pupilo de André Galvão comenta sobre o adversário e os próximos planos para a carreira.

“Já lutei com Jackson no Mundial Sem Kimono, ano passado, e não foi uma luta fácil. Eu respeito ele e sei que é um atleta duro. E dessa vez é um duelo de kimono, um jogo diferente – já que você tem as pegadas do kimono – e tudo pode acontecer, mas eu estou preparado. Estou me sentindo bem. Vou para lá para ser campeão”, diz Lucas, antes de revelar as próximas metas pessoais no Jiu-Jitsu.

“2018 a meta é não perder, é continuar ganhando os campeonatos, vencendo tudo. Mas os títulos que mais almejo são os do Campeonato Mundial da IBJJF, o cinturão do Berkut, o Brasileiro da CBJJ, que é também é um título que não tem na faixa-preta. Estou atrás dos títulos que não tenho na faixa-preta. Minha hora vai chegar. O título mundial é o primeiro da minha lista”.

Hulk, que tem observado o professor Galvão se preparar para o King of Mats, em Abu Dhabi, detalha a programação de treinos no QG da Atos, em San Diego, na Califórnia.

“A gente tem trabalhado os cinco, seis minutos normais. Estamos treinando muito sparrings nesse modo já que o Galvão e uma galera daqui vão lutar em Abu Dhabi. E como eu luto cinco minutos no ACBJJ, estamos fazendo esse treino nesse tempo. É um treino todo voltado para esses campeonatos” comenta Hulk, que logo após, destrincha seus treinos de musculação voltados para o Jiu-Jitsu.

“O treino de musculação sempre agrega na vida do atleta e a maioria dos atletas faz musculação e isso acaba ajudando a prevenir as lesões. É muito importante. Eu sempre faço os treinos voltados especificamente para o Jiu-Jitsu e os meus coachs de musculação são bastante inteligentes, além de já praticarem Jiu-Jitsu. Eles fazem meu treino sempre voltado para o Jiu-Jitsu. É uma coisa que agrega muito no meu Jiu-Jitsu”.

O post Lucas Hulk mira cinturão do ACB JJ e no título mundial da IBJJF 2018 apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Cara de Sapato mira quinta vitória seguida e analisa luta contra Boetsch: ‘Ele oferece algumas brechas’

Por Mateus Machado 

Embalado por quatro vitórias consecutivas dentro do Ultimate, Antônio “Cara de Sapato” terá um importante desafio visando sua sequência positiva dentro da organização. Neste sábado (14), o brasileiro terá pela frente o experiente Tim Boetsch no UFC on Fox 29, em duelo válido pela categoria dos médios. Vivendo o melhor momento de sua carreira, o campeão do TUF Brasil 3 vibra com o momento especial e vem mostrando uma evolução constante em suas últimas apresentações.

Oriundo do Jiu-Jitsu, Cara de Sapato, lutador da American Top Team, apresenta uma melhora também na trocação, no entanto, procura deixar bem claro que a sua preferência é a arte suave. Em entrevista à TATAME, Antônio falou do seu crescimento na carreira e o aprendizado adquirido para enfrentar os melhores lutadores da divisão no Ultimate.

“Todos sabem que eu sou um cara do Jiu-Jitsu, mas eu criei uma maturidade muito importante nas últimas lutas. Eu era muito inexperiente na época do TUF, então eu tive que aprender no meio dos leões, dentro da maior organização de MMA do mundo. A cada luta, eu sinto que estou mais bem preparado e pronto para enfrentar qualquer um da categoria. É um aprendizado enorme”, disse o brasileiro.

Confira a entrevista completa com Cara de Sapato:

– Preparação para o duelo

Acho que o trabalho foi e está sendo feito da melhor forma possível. A estrutura da American Top Team é muito boa e conta com grandes profissionais, como o Jim Thomas, que é o meu headcoach, além dos outros atletas da equipe, como o Santiago Ponzinibbio, o Thiago Marreta, Junior Cigano… É uma galera de altíssima qualidade. A preparação foi muito bem feita durante esse camp, tive um bom tempo para me preparar e agora é mostrar o resultado dentro do octógono com uma vitória e quem sabe mais uma finalização, né? Sou um cara do Jiu-Jitsu e procuro mostrar a arte suave da melhor forma nas minhas lutas pelo UFC.

– Três das últimas quatro vitórias vieram no mata-leão

Acho que eles (adversários) já ‘sacaram’ esse golpe, mas o detalhe faz toda a diferença. Quem treina Jiu-Jitsu, sabe que o detalhe no golpe faz total diferença nesses momentos. Todos já sabem que eu vou querer pegar as costas e tentar finalizar, mas é importante você ser esperto e, a partir disso, criar novas variações, e eu conto com uma galera muito boa na minha equipe. Todos sabem que eu sou um cara do Jiu-Jitsu, mas eu criei uma maturidade muito importante nas últimas lutas. Eu era muito inexperiente na época do TUF, então eu tive que aprender no meio dos leões, dentro da maior organização de MMA do mundo. A cada luta, eu sinto que estou mais bem preparado e pronto para enfrentar qualquer um da categoria. É um aprendizado enorme.

– Evolução dentro do UFC

Isso é gratificante demais, é muito bom estar mais estabilizado dentro da organização. Hoje eu estou com quatro vitórias consecutivas, é a segunda maior sequência de triunfos na categoria, só perco para o campeão Robert Whittaker. Me sinto cada vez mais experiente, preparado, e com certeza o foco é uma futura disputa de cinturão. Sei que o desafio não é nada fácil, mas cedo ou tarde eu vou chegar lá. Estou trabalhando forte demais para esse momento chegar na minha carreira.

– Análise do adversário

Eu estudei bastante o jogo dele, tanto os pontos fortes quanto os fracos. É um cara que tem a mão direita muito forte, tem uma base muito boa também, é difícil derrubar ele, e percebi também que ele vem chutando mais nas últimas lutas, então preciso estar bem ágil para saber o momento certo de atacar. Ele oferece algumas brechas na luta de chão, já foi finalizado algumas vezes, inclusive para o Ronaldo Jacaré, Thales Leites… Então, eu analisei bem o jogo dele para saber executar bem a minha estratégia na hora da luta. O ponto mais fraco dele é a minha arma mais forte, então é saber trabalhar para dar tudo certo.

– Momento semelhante com o amigo Thiago Marreta no UFC

Eu fico muito feliz de ver esse bom momento do meu amigo Thiago Marreta, de ver que estamos nessa boa sequência de vitórias dentro da categoria. A gente procura sempre se ajudar e ele foi muito importante na minha preparação, assim como eu estou sendo no camp para a luta dele, acredito eu. Tanto eu como ele estamos vindo de uma sequência de quatro vitórias no UFC e espero muito que a gente faça essa caminhada juntos em busca do cinturão da categoria.

– Possível confronto contra Marreta no futuro?

Apesar de sermos da mesma categoria e vivermos momentos semelhantes, (uma luta) é algo totalmente descartado. Acredito que não há necessidade, porque tem muita coisa para acontecer, muitos nomes dentro da categoria, então não é uma coisa que planejamos.

– Planos para o restante do ano

Eu espero muito poder fazer três lutas esse ano, sair vitorioso nesse primeiro desafio, que é bem importante, mas eu quero muito vencer três vitórias em 2018, seria algo maravilhoso, seria espetacular fechar o ano dessa forma e se aproximar cada vez mais do título. Então esses são meus planos, espero não me machucar para treinar muito e ir em busca desses objetivos.

CARD COMPLETO:

UFC on FOX 29
Glendale, nos Estados Unidos
Sábado, 14 de abril de 2018

Card principal
Dustin Poirier x Justin Gaethje
Israel Adesanya x Marvin Vettori
Carlos Condit x Alex Cowboy
Michelle Waterson x Cortney Casey

Card preliminar
Tim Boetsch x Antônio Cara de Sapato
Muslim Salikhov x Ricky Rainey
Wilson Reis x John Moraga
Krzysztof Jotko x Brad Tavares
Gilbert Durinho x Dan Moret
Shana Dobson x Lauren Mueller
Dhiego Lima x Yushin Okami
Arjan Bhullar x Adam Wieczorek
Matthew Lopez x Alejandro Perez
Luke Sanders x Patrick Williams

 

Source: Tatame

Ordem judicial contra Oezdemir cancela luta de Shogun no Chile

Retorno de Shogun ao octógono está adiado. Foto: Reprodução / Facebook @ufc

O retorno de Mauricio Shogun ao octógono está adiado. O brasileiro, que enfrentaria o suíço Volkan Oezdemir no UFC Chile, dia 19 de maio, teve o duelo adiado. O motivo é uma ordem judicial que impede o suíço de deixar os Estados Unidos. A notícia foi divulgada pelo site do canal Combate e confirmada pela reportagem.

Veja Também

Rival de Cyborg acerta com o UFC e estreia contra Holly Holm, em julho

José Aldo encara Jeremy Stephens no UFC Canadá, em julho

Na pesagem do Brave 11, Miau e Mineiro prometem show em Belo Horizonte

Oezdemir foi preso em novembro de 2017, na Flórida, acusado de agressão. Ele pagou fiança de US$ 10 mil – cerca de R$ 34 mil na cotação atual –  e aguarda o julgamento em liberdade, porém não pode deixar os Estados Unidos.

Com a impossibilidade do suíço de lutar no UFC Chile, a organização trabalha para remarcar o combate em outra data, provavelmente dentro dos EUA,  mas ainda sem confirmação de evento ou local.

O adiamento frustra, temporariamente, a possibilidade de Shogun voltar a disputar o cinturão dos meio-pesados. Ex-campeão da categoria, o brasileiro vem de três vitórias consecutivas e com o campeão Daniel Cormeir subindo ao peso pesado e Jon Jones ainda afastado das competições por problemas com doping, ele poderia se aproveitar do momento e lutar pelo título em caso de triunfo.

Source: Portal da Luta

Bruno Bastos e ex-UFC Fabiano ‘Pega-Leve’ duelam em evento de submission de Chael Sonnen

Faixa preta vem de bons resultados – Foto: Mike Calimbas

Bruno Bastos, faixa-preta e professor de Jiu-Jitsu em Midland, Texas, foi convidado para lutar no Submission Underground (SUG) 7, evento organizado por Chael Sonnen, neste domingo, 15 de abril, em Portland, Oregon, nos Estados Unidos.

Bruno encara Fabiano “Pega-Leve” Scherner, ex-UFC e faixa-preta da Gracie Barra, numa superluta onde o vencedor será decidido apenas por finalização.  O tempo de duração da luta é de 8 minutos e caso não haja finalização, haverá prorrogação.

Bruno, que está treinando para suas competições de 2018 desde janeiro, comenta como surgiu o convite para lutar no SUG 7 e detalha o que muda num duelo sem kimono.

“O Fabiano iria fazer a luta principal do evento com o Jeff Monson, mas o Jeff se machucou e na quinta-feira passada, a organização entrou em contato comigo e nem teve muito negociação. Em três trocas de mensagem, estava tudo definido. Quando a oportunidade boa pinta e você deixa passar, ela não ‘bate na porta’ novamente. E como nos eventos que meus alunos vão competir tem com e sem kimono, todo mundo está treinando os dois tipos de treino. Não mudei nada no treino. Acredito que meu jogo seja o mesmo com e sem kimono, somente mudando o foco em algumas finalizações”, diz Bruno, dono de títulos mundiais da IBJJF com e sem kimono.

Bruno, que é acostumado aos duelos sem kimono, aproveita para analisar o adversário e dizer o que espera do combate.

“Ele é o atual campeão mundial pesadíssimo master 3 na IBJJF e não perde tem muito tempo já. Como a luta é sem pontos, somente finalização e dentro do cage, será crucial chegar em posição boa e executar de forma perfeita, pois no sem kimono fica muito escorregadio e meu objetivo é a vitória”, conta Bruno, antes deixar uma mensagem para os seus alunos dos Estados Unidos e Brasil.

“Estar em uma equipe é um privilégio, não um direito. Você desiste do direito de ser egoísta, mediano e apático quando os outros dependem de você, porque ninguém pode realizar nada sozinho. Somos todos um time e me sinto privilegiado em poder representar todos vocês, pois me sinto privilegiado também em testemunhar as suas batalhas. A vida é uma competição e vamos ganhar”.

O post Bruno Bastos e ex-UFC Fabiano ‘Pega-Leve’ duelam em evento de submission de Chael Sonnen apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Vindo de nocaute, Durinho espera confundir adversário deste sábado: ‘Por ele ser estreante, deve vir cheio de vontade’

Durinho tenta a segunda vitória seguida – Foto: Divulgação

Gilbert Durinho conquistou mais da metade de suas vitórias obrigando os adversários a darem os três tapinhas, porém, em sua última apresentação, fez Jason Saggo beijar a lona de forma clássica. Neste sábado ele volta ao octógono, em Glendale, EUA, onde enfrenta o também finalizador Dan Moret. Em bate-papo com o PVT, o brasileiro não escondeu o jogo e afirmou que, mesmo sendo favorito na parte em pé, a prioridade será definir usando sua principal arma.

“Até pensei nessa estratégia (trocar em pé) no começo, mas acho que seria muito fácil para ele descobrir, já que eu estou vindo de nocaute. Eu acho que ele está esperando isso, então vou colocar uma pressão desde o início, movimentar, achar a distância, derrubar e usar o Jiu-Jitsu, que é uma coisa que ele não deve estar esperando, então vou obrigá-lo a fazer Jiu-Jitsu. Ele é bom ditando as ações, vamos ver como é o jogo dele na pressão”, explicou o peso leve. “Por ele ser estreante, deve vir cheio de vontade. Tem todos os ingredientes para ser uma grande luta”.

Dan Moret entrou na luta há cerca de duas semanas, para substituir Lando Vannata, primeiro adversário escalado para enfrentar Durinho no evento. Apesar disso, por uma coincidência, o brasileiro que treina na Combat Club não precisou procurar muito para descobrir o jogo do novo oponente.

“Foi até engraçado. Um companheiro de treino meu, o Damon Jackson, que luta no LFA, estava com luta marcada para o dia 20 de abril, mas o adversário dele saiu da luta. Quando me ofereceram o Moret e eu avisei a esse meu companheiro, ele disse que era o oponente que havia saído da luta. Ou seja, no fim das contas, a gente estava treinando para o mesmo cara, o que facilitou a minha preparação. Mal ou bem, meu adversário também já estava se preparando para lutar, só mudou que, para ele, a luta foi antecipada em uma semana”.

UFC On Fox 29

Glendale, EUA

Sábado, 14 de abril de 2018

CARD PRINCIPAL (21h, horário de Brasília):
Peso-leve: Dustin Poirier x Justin Gaethje
Peso-meio-médio: Carlos Condit x Alex Cowboy
Peso-médio: Israel Adesanya x Marvin Vettori
Peso-palha: Michelle Waterson x Cortney Casey

CARD PRELIMINAR (16h30, horário de Brasília):
Peso-médio: Tim Boetsch x Antônio Cara de Sapato
Peso-meio-médio: Muslim Salikhov x Ricky Rainey
Peso-mosca: Wilson Reis x John Moraga
Peso-médio: Krzysztof Jotko x Brad Tavares
Peso-leve: Gilbert Durinho x Dan Moret
Peso-mosca: Shana Dobson x Lauren Mueller
Peso-meio-médio: Dhiego Lima x Yushin Okami
Peso-pesado: Arjan Bhullar x Adam Wieczorek
Peso-galo: Matthew Lopez x Alejandro Perez
Peso-galo: Luke Sanders x Patrick Williams

O post Vindo de nocaute, Durinho espera confundir adversário deste sábado: ‘Por ele ser estreante, deve vir cheio de vontade’ apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Resultados da pesagem do UFC Glendale

Saiba tudo que rolou na pesagem do #UFCGlendale, que tem cinco brasileiros em ação. Neste sábado, a partir de 16h30 no @canalCombate > https://t.co/YFf6OUPWwo pic.twitter.com/hjBKhv3egL
— UFC Brasil (@ufc_brasil) 14 de abril de 2018

A primeira batalha já foi vencida. Os atletas que entrarão em ação no UFC Glendale, que acontece neste sábado (14), passaram pela balança nesta sexta-feira (13) para a oficialização dos combates.No geral, o clima da Pesagem foi ameno. Protagonistas da noite de lutas, Dus … Read the Full Article Here
Source: UFC

Alex Oliveira faz luta co-principal do UFC on Fox 29 e leva favoritismo nas apostas; saiba mais

 

Não demorou muito para o Ultimate encontrar um substituto para Matt Brown na luta contra Carlos Condit no UFC on FOX 29. Estamos falando do brasileiro Alex Oliveira, que topou enfrentar o ex-campeão interino na divisão dos meio-médios, em Glendale, Arizona (EUA), no próximo sábado (14). A seguir, confira o prognóstico do Oddsshark.com deste que é o combate co-principal do evento.

ALEX OLIVEIRA X CARLOS CONDIT

Acostumado a fazer lutas a curto prazo, Alex Oliveira tentará se recuperar da derrota por nocaute técnico, sofrida em dezembro, contra Yancy Medeiros. Antes disso, o “Cowboy” venceu quatro de suas últimas cinco lutas, derrotando James Moontasri, Will Brooks, Tim Means e Ryan LaFlare.

Já Carlos Condit teve desempenho inverso, quando ganhou apenas um de seus cinco combates mais recentes – derrotas para Tyron Woodley, Demian Maia, Robbie Lawler e, mais recentemente, Neil Magny, em dezembro de 2017. Sua única vitória nesse período veio em maio de 2015, há quase três anos, quando ele superou Thiago Alves com um nocaute técnico.

OS BASTIDORES DA REALIZAÇÃO DA LUTA ENTRE OLIVEIRA E CONDIT

Alex Oliveira estava treinando em sua cidade natal, Três Rios, no estado do Rio de Janeiro, quando descobriu que Carlos Condit foi deixado sem um adversário para o UFC na FOX 29, depois que Matt Brown desistiu devido a uma lesão. Oliveira, que foi submetido a uma cirurgia para corrigir uma fratura no nariz, voltou a treinar por algumas semanas e seu empresário, Alex Davis, fez uma oferta contra Condit.

“Cowboy” pesava 184,4 quilos quando aceitou a luta pelos meio-médios, muito mais leve do que os 203 quilos que ele pesava duas semanas antes. O motivo? Ele tinha a convicção de que estava perto de receber uma oferta. Então, ele já havia começado a perder peso, apesar de que seu plano original era voltar à ação por volta de junho.

“A oportunidade chegou e eu levei logo”, disse Oliveira ao site MMA Fighting. “É mais cedo do que eu esperava, mas é Carlos Condit, um ex-campeão, um grande nome, a oportunidade de uma vitória muito importante para minha carreira.”

FASE DIFÍCIL DE CARLOS CONDIT

O ex-campeão interino passou por três momentos agudos no octógono, recentemente: uma decisão acirrada para Robbie Lawler, uma rápida apresentação contra Demian Maia e um desempenho decepcionante contra Neil Magny. A responsabilidade é grande e ele precisa desesperadamente voltar aos trilhos.

“Ele não vence desde 2015, quando lutou contra o ‘Pitbull’ (Alves), então virá com tudo, sem dúvida, mas não passará por mim”, disse Oliveira. “Eu quero construir meu nome sobre ele. Vai ser uma ótima luta. Uma guerra. Eu sei que é uma oportunidade para derrubá-lo virá. Mas eu quero negociar com ele, manter a luta de pé. Se Condit me der uma abertura para encurralá-lo contra a gaiola, vou com tudo pegar seu pescoço ou seu pé”, concluiu.

CARTÉIS DE ALEX OLIVEIRA E CARLOS CONDIT

Alex Oliveira

Apelido: Cowboy

Cartel: 17 vitórias/1 empates/5 derrotas

Vitórias: 11 nocautes (65%)/3 finalizações (18%)/3 decisões dos juízes (18%)

Derrotas: 1 nocautes (20%)/3 finalizações (60%)/1 decisão dos juízes (20%)

Altura: 1,80 m

Peso: 77,11 kg

Data de nascimento: 21/02/1988

Carlos Condit

Apelido: The Natural Born Killer

Cartel: 30 vitórias/11 derrotas/

Vitórias: 15 nocautes (50%)/13 finalizações (43%)/2 decisões dos juízes (7%)

Derrotas: 1 nocautes (9%)/4 finalizações (36%)/6 decisões dos juízes (55%)

Altura: 1,85 m

Peso: 77,11 kg

Data de nascimento: 26/04/1984

PANORAMA DO MERCADO DE APOSTAS, DE ACORDO ODDSSHARK.COM

A má fase, a “zica” de Condit, tem um importante reflexo nos odds. Por isso, a vitória de Alex Oliveira paga R$ 1,50 sobre cada real. Para voltar a fazer as pazes com o triunfo, o ex-campeão interino do UFC proporcionaria o rendimento de 260%.

PALPITE

Tudo foi dito acima. Carlos Condit até fala com certo otimismo, mas a confiança está em baixa. Oportunidade excelente para faturar com Alex Oliveira, em melhor momento na carreira e cheio de gás para passar pelo ex-campeão.

COTAS DOS ODDSSHARK.COM PARA O UFC ON FOX 29

Card principal (Fox)

(R$ 1,71) Dustin Poirier x Justin Gaethje (R$ 2,10)

(R$ 1,50) Alex Oliveira x Carlos Condit (R$ 2,60)

(R$ 1,40) Israel Adesanya x Marvin Vettori (R$ 2,95)

(R$ 2,00) Michelle Waterson x Cortney Casey (R$ 1,77)

Card preliminar (Fox)

(R$ 1,37) Antonio Carlos Junior x Tim Boetsch (R$ 3,10)

(R$ 1,58) Muslim Salikhov x Ricky Rainey (R$ 2,40)

(R$ 1,69) Wilson Reis x John Moraga (R$ 2,15)

(R$ 1,71) Brad Tavares x Krzysztof Jotko (R$ 2,10)

 

O post Alex Oliveira faz luta co-principal do UFC on Fox 29 e leva favoritismo nas apostas; saiba mais apareceu primeiro em Portal do Vale Tudo.

Source: Portal

Na pesagem do Brave 11, Miau e Mineiro prometem show em Belo Horizonte

Mineiro (esq.) encara Miau (dir.) fazem luta principal do Brave 11. Foto: Divulgação

O Brave 11 teve sua pesagem cerimonial realizada nesta quinta-feira no Hotel Ouro Minas, em Belo Horizonte, cidade que também receberá a terceira edição brasileira do maior evento de MMA do Oriente Médio. Na luta principal, os brazucas Luan “Miau” Santiago e Lucas “Mineiro” Martins, que se enfrentarão pelo cinturão interino do peso leve da organização, fizeram uma encarada respeitosa.

Veja Também

Rival de Cyborg acerta com o UFC e estreia contra Holly Holm, em julho

José Aldo encara Jeremy Stephens no UFC Canadá, em julho

Wanderlei Silva será candidato a deputado federal em 2018

Na entrevista após a pesagem, tanto “Miau” quanto “Mineiro” pregaram respeito um ao outro e prometeram um show inesquecível para o público mineiro.

“Galera, amanhã vai ser show. Não quero falar de como acho que vai ser a luta, vocês terão que ir na Esplanada do Mineirão e descobrir. Mas eu prometo que nós daremos um grande show. Quem quer ver show aí? É isso que vai acontecer!”, comentou Santiago, eleito o Lutador do Ano no Brasil em 2018 e uma das grandes promessas do MMA mundial em 2018 pela revista especializada inglesa “Fighter’s Only”.

Seu adversário, o ex-lutador do UFC Lucas “Mineiro” exaltou o fato de estar retornando à cidade onde nasceu para se tornar campeão mundial pelo Brave.

“Estou muito feliz de estar aqui em Belo Horizonte, lutando literalmente em casa. Minha estratégia é buscar a vitória a todo momento e dar uma grande luta aos fãs”, disse Martins.

Na luta co-principal, o brasileiro Klidson de Abreu, campeão meio-pesado do Brave, vai fazer sua primeira defesa de título diante do canadense Matt Baker. Os dois tiveram uma encarada tensa, mas mantiveram a postura, apenas trocando provocações entre si.

Resultados da pesagem do Brave 11:

Peso leve – Luan “Miau” Santiago (BRA) – 70,1 kg x Lucas “Mineiro” Martins  (BRA) – 70 kg (Pelo título interino)

Peso meio-pesado – Klidson de Abreu (BRA) – 92 kg x Matt Baker (CAN) – 92,3 kg (Pelo título)

Peso leve – Erivan Pereira (BRA) – 69,3 kg x Gesias “JZ” Cavalcante  (BRA) – 70,7 kg

Peso mosca – Bruno Malfacine (BRA) – 56,7 kg x Rafael “Mini Man” Pereira  (BRA) – 56,6 kg

Peso leve – Cleiton “Predador” Silva (BRA) – 72,5 kg* x Ahmed Amir (EGI) – 70,7 kg

Peso galo – Carlos “Carlin” Soares (BRA) – 61,4 kg x Georges Bardawill (LBN) – 61,8 kg

Peso médio – Douglas “Mahal” Nogueira – 84,1 kg x Bruno Assis (BRA) – 185,4 kg

Peso mosca – Marcel Adur (BRA) – 56,8 kg x Fernando Lourenço (BRA) – 57 kg

Peso meio-médio – Alessandro Gambulino (BRA) 76,1 kg x Rodrigo Cavalheiro (BRA) 77,5 kg

Peso palha – Elaine Leal (BRA) – 51,8 kg x Luana Pinheiro (BRA) – 52.9 kg*

Peso pena – Arnold Quero (FRA) – 66,3 kg x Caio Gregório (BRA) – 66,1 kg

*Não bateram o peso; perderam 20% da bolsa

Source: Portal da Luta

Confiante, Wilson Reis planeja usar ‘Jiu-Jitsu forte’ contra John Moraga e quer finalização no UFC Glendale

Por Yago Rédua

No próximo sábado (14), em Glendale, no Arizona (EUA), Wilson Reis volta à ação no UFC on FOX 29, contra John Moraga. O brasileiro peso-mosca vem de duas derrotas seguidas na organização, sendo uma para Demetrious Johnson, campeão mais dominante do Ultimate. Em entrevista à TATAME, o faixa-preta contou que vem fazendo o camp na Alliance MMA e está com o “psicológico” tranquilo, apesar do seu momento desfavorável.

“Está indo muito bem (o camp). Estou fazendo aqui na Alliance MMA e estou super focado com todos os treinadores e parceiros de treino. Está tranquila (questão psicológica), estou muito confiante e feliz. Não me deixo ficar nervoso ou com pressão por estar vindo de derrotas. Estou treinando forte para dar um show e é o que eu vou fazer”, projetou Wilson.

Assim como Johnson e Henry Cejudo, Moraga também tem o Wrestling como luta base. Ao ser indagado sobre os treinamentos, tendo em vista que saiu derrotado nos dois últimos compromissos contra wrestlers, o brasileiro revelou que quer impor o seu Jiu-Jitsu na luta.

“Sempre treino muito Wrestling e para essa luta não foi diferente. Mas, estou corrigindo detalhes das lutas passadas para estar mais preparado no contragolpe dele. Quero explorar a parte em pé dele, para abrir caminhos para a queda, em busca de fazer um Jiu-Jitsu forte para finalizar”, apontou Wilson, que ficou sete meses sem lutar e contou ter usado o tempo para afiar a luta em pé, com treinos de Boxe e Muay Thai, além da arte suave, é claro.

“Treinei muito a parte em pé. Boxe e Muay Thai foi o que eu mais corrigi e treinei para esta luta. Eu acredito que sim, mesmo ele não sendo um Top 5, é um cara com muita moral na categoria dos moscas do UFC, então uma vitória seria boa para mim”, encerrou Wilson.

CARD COMPLETO:

UFC on FOX 29
Glendale, nos Estados Unidos
Sábado, 14 de abril de 2018

Card principal
Dustin Poirier x Justin Gaethje
Israel Adesanya x Marvin Vettori
Carlos Condit x Alex Cowboy
Michelle Waterson x Cortney Casey

Card preliminar
Tim Boetsch x Antônio Cara de Sapato
Muslim Salikhov x Ricky Rainey
Wilson Reis x John Moraga
Krzysztof Jotko x Brad Tavares
Gilbert Durinho x Dan Moret
Shana Dobson x Lauren Mueller
Dhiego Lima x Yushin Okami
Arjan Bhullar x Adam Wieczorek
Matthew Lopez x Alejandro Perez
Luke Sanders x Patrick Williams

Source: Tatame