Confira cinco motivos para você participar do Desafio Inverno de Jiu-Jitsu em Paty do Alferes

A FJJD-Rio vai realizar no próximo dia 24 o Desafio Inverno do Circuito Sul Fluminense, em Paty do Alferes, no estado do Rio de Janeiro. A TATAME preparou cinco dicas para você que é competidor e deseja participar da segunda etapa do ranking. Ao fim da temporada, os campeões serão premiados com passagens internacionais para competições da UAEJJF.

Confira as cinco dicas da TATAME para você, lutador (a):

> Premiações: assim como o Circuito Mineirinho Brasil Open, realizado na capital Fluminense, o ranking de Paty do Alferes também vai levar os campeões da temporada para competir em Los Angeles ou Londres – em etapas do Grand Slam da UAE Jiu-Jitsu Federation. Ao todo, são três etapas e a última vale pontuação em dobro. Ou seja, quem não participou da Taça Rio (de Paty do Alferes) ou foi mal, ainda pode se recuperar.

> Equipes: diversas equipes do estado do Rio de Janeiro e da região Sul Fluminense estão colocando atletas e aumentando cada vez mais o nível das disputas entre os lutadores.

> Estrutura: a mesma qualidade usada na organização, bem-estar e comodidade dos lutadores no Circuito Mineirinho Brasil Open serão reproduzidas no Desafio Inverno, no próximo dia 24. A FJJD-Rio, por sinal, é referência neste aspecto dentro e fora do Rio.

> Translado: para os 200 primeiros lutadores inscritos que moram na cidade do Rio de Janeiro e querem competir em Paty, a FJJD-Rio vai disponibilizar a ida e volta desses competidores, com um ônibus que vai sair totalmente de graça, fornecido pela Federação.

> Turismo: além da competição, o lutador de Jiu-Jitsu que participar do Desafio Inverno ainda terá a oportunidade de conhecer uma das mais charmosas cidades do Rio de Janeiro. Paty do Alferes apresenta locais turísticos como o Museu da Cachaça, Casa-Sede da Fazenda Pau Grande, entre outras belezas naturais, além, claro, da arte suave.

SERVIÇO:

Circuito Sul Fluminense – Desafio Inverno (2ª etapa)

Data: 29 de junho de 2018
Local: Ginásio Hugo Corrêa Bernades, em Paty do Alferes (RJ)
Inscrição: aqui

Victor Bomfim e Rafaela Bertolot se destacam na disputa do Rio Fall Open; confira os detalhes

Realizado no último final de semana, no tradicional Tijuca Tênis Clube, Zona Norte do Rio de Janeiro, o Rio Fall International Open, organizado pela CBJJ, teve bons nomes da arte suave em ação. No masculino faixa-preta, destaque para Victor Bomfim, da GFTeam, que ficou em terceiro na divisão dos pesados, fechando com seus companheiros de equipe, e conquistou o ouro no absoluto. Já no feminino, também representado a GFTeam, Rafaela Bertolot faturou o ouro duplo, levando o título na categoria meio-pesado e no peso aberto.

Outros campeões foram definidos no masculino faixa-preta. No peso-pluma, Lucas Pinheiro foi o grande vencedor ao superar Douglas Rufino na final. Nos pesos pena, leve, médio e meio-pesado, Renê Alves, César Cardoso, Eric de Souza e Sandro Vieira levaram o título, respectivamente. Já nas divisões peso-pesado, superpesado e pesadíssimo, Luiz Felipe, Igor Ribeiro e Antônio de Pádua foram ao lugar mais alto do pódio para receber o ouro.

Já no feminino, além de Rafaela Bertolot, que levou o ouro duplo, outra campeã foi Tayane Porfírio, que vem embalada pelo título em sua categoria e no absoluto no Mundial da IBJJF. Sem adversárias, a fera da Alliance conquistou o ouro na divisão dos superpesados.

Confira os resultados completos do Rio Fall International Open, aqui

Rafaela Bertolot, atleta da GFTeam, se destacou e faturou o ouro duplo no feminino faixa-preta (Foto reprodução)

Disputa por equipes

Já na tradicional disputa por equipes, a grande vencedora foi a GFTeam, que encerrou o Rio Fall Open com 414 pontos. Em segundo lugar ficou a Nova União, com 348 pontos, seguida da Gracie Barra, que terminou o torneio com 264 pontos e fechou o pódio.

Mário Reis fala sobre atual rotina como treinador: ‘Quero uma equipe exemplo para todos os atletas’

Multicampeão como atleta de Jiu-Jitsu e, atualmente, considerado um dos principais treinadores no mundo da arte suave, Mário Reis dedicou sua vida ao esporte e hoje colhe os frutos de uma trajetória vencedora. Líder da filial da Alliance em Porto Alegre, o gaúcho relembra com satisfação sua carreira como lutador. Em entrevista à TATAME durante o Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJ, realizado em Barueri (SP), no início de maio, Mário reforçou a importância de dar o máximo em sua época de competidor e manter o mesmo foco nos dias atuais, onde reserva seu tempo na preparação de novos campeões para a modalidade.

“Eu fui muito bem resolvido como atleta. Deixei tudo o que eu podia ali, e na verdade, eu fiz as duas coisas durante toda a minha vida, então nesse processo eu me doei 100% para essas duas coisas (competidor e treinador), mas eu sentia que o lado profissional sugava um pouco a minha energia vital para que eu pudesse me doar 110% aos meus alunos, então eu passei 20 anos vivendo Mundiais, Pan-Americanos, Brasileiros, Europeus e, quando eu parei, já parei decidido de que fiz o meu melhor. Eu me mantive no pódio de todos os Mundiais que competi, desde o ano de 2000 até o último Mundial de 2015, sem falhar em nenhum. Ganhei três títulos mundiais, algumas pratas e alguns bronzes, mas sempre entre os tops da minha categoria, e quando eu parei, estava 100% decidido que o amor que eu queria sentir era para os outros, porque quando a gente é atleta, é um amor próprio, tem muito ego, então quando você migra (para a vida de treinador), o mais importante são os outros. Claro que temos que cuidar da gente, para estarmos bem, mas eu estava totalmente decidido a me doar aos meus alunos”, detalhou Mário Reis.

Tido como um dos treinadores mais respeitados e vencedores do Jiu-Jitsu, Mário se torna um “espelho”, não só para os seus atletas, mas também para lutadores que estão iniciando na arte suave e, consequentemente, para treinadores que ainda começam sua trajetória. Ao ser questionado se o fato de ser considerado um exemplo, de certa forma, o pressiona, o treinador citou a naturalidade de ter um estilo de vida relacionado a bons hábitos.

“Não tem pressão nenhuma quanto a isso. Eu sei que isso é uma responsabilidade, mas eu acho que quando a gente tem um estilo de vida já regrado naturalmente, quando a gente molda o lado pessoal, o atleta é um fruto disso, o lado profissional. Eu acredito que, através desse exemplo que a gente dá, sabemos que somos uma referência, então essa responsabilidade é totalmente natural quando o estilo de vida é exatamente esse. Eu sei que, se um aluno me vir ou vir um aluno nosso bebendo na noite, muitos vão se espelhar nesse lado. Se vir os nossos campeões fazendo coisas que não condizem com o estilo de vida de campeão que a nossa equipe preza, a gente sabe que é uma responsabilidade que a gente está usando de uma forma que inspira outros a fazerem isso, e na minha opinião é muito prejudicial. Eu acho que isso é uma responsabilidade de bons hábitos através do estilo de vida. É o exemplo que eu quero dar e que eu procuro mostrar aos meus alunos, porque quero que eles inspirem as pessoas a ser um modelo de campeão que não comemora bebendo álcool, entre outras coisas”, analisou Mário, que ainda falou de seus planos como treinador para os próximos anos e o trabalho na Alliance em Porto Alegre.

“Meu plano é formar uma equipe exemplo para todos os atletas e praticantes de Jiu-Jitsu como modelo de equipe que trabalha com muito amor e positividade, e que isso se perpetue nessa comunidade, porque o Jiu-Jitsu precisa disso, de mais pessoas que tenham um exemplo de vida legal e que inspire muitas outras pessoas”, encerrou o faixa-preta.


Source: Tatame

Kennedy conquista título mundial e recebe a faixa preta; Gabriela Fechter e Kaynan levam absoluto na marrom

As disputas não param no Mundial de Jiu-Jitsu 2018, realizado pela IBJJF na Califórnia, Estados Unidos. Com os campeões definidos nas faixas-azul e roxa, chegou a vez de conhecer os vencedores na faixa-marrom, que teve o seu encerramento neste sábado (2). Vale lembrar, porém, que o domingo ainda reserva as aguardadas decisões na faixa-preta.

Entre os destaques, Kennedy Maciel, filho da lenda Rubens Charles Cobrinha, faturou o título no peso-pluma e foi promovido à faixa-preta ainda no pódio. Em entrevista ao FloGrappling após a conquista, ele avisou: “Se preparem, tem um novo rei chegando”.

//www.instagram.com/embed.js

Outros nomes consagrados do cenário, Kaynan Duarte e Leonardo Lara, da Atos, e Victor Hugo Marques, da Ribeiro Jiu-Jitsu, também conquistaram o ouro em suas categorias. Já Matheus Gabriel, da Checkmat, assim como Kennedy, ganhou o título e a faixa preta.

No absoluto masculino, novo brilho de Kaynan. Após excelente campanha, o brasileiro encontrou o compatriota Victor Hugo Marques, que havia sido campeão no pesadíssimo, na final. E mesmo mais leve – peso-pesado -, impôs seu jogo para anotar 6 a 4 nos pontos.

//www.instagram.com/embed.js

Entre as mulheres, destaque máximo para Gabriela Fechter, da Checkmat, campeã no peso aberto e bronze na divisão dos penas. Na final do absoluto, Gabi encarou e venceu a fera Larissa Carvalho, da Gracie Reunion, que antes havia triunfado no peso-pluma.

Além da dupla, nomes como Ffion Davies – peso-pena -, Jessica Swanson – peso-médio -, Melissa Cueto – peso-meio-pesado – e Elizabeth Foster, no superpesado, também se sobressaíram e subiram no lutar mais alto do pódio na tradicional Pirâmide de Long Beach.

Veja a lista completa de campeões no Mundial de Jiu-Jitsu 2018 da IBJJF, aqui

Que dia! CAMPEÃ MUNDIAL ABSOLUTO faixa marrom e terceira na categoria. Estou em choque. Muito muito feliz. Sem palavras para agradecer meu mestre Ricardo Vieira e ao @leticia_e_sebastianlalli_bjj por acreditarem em mim e me motivarem até o final. Obrigada @lucasleitebjj e @tatawribeiro por tudo que vocês fizeram, pela ajuda, pelos treinos, pela dedicação à equipe. Vocês são FODA! Obrigada aos irmãos @matheusluna_lb e @mathias_luna pelos ajustes, pela amizade, pelo carinho… amizades fortes e laços como esse são os maiores prêmios que a gente leva na vida! Obrigada a todos meus patrocinadores: @atama @solutiio @brsenatore @mr.pgourmet @45performance @lilipamparo @clinicalongevity @rygy_oficial @depilalltime @fightzonerj #checkmat #ricovieira #bjj #jiujitsu #neverstopdreaming #worlds2018 #campeamundial #california #nuncadesistadosseussonhos #atamateam #bjjgirls

A post shared by GABRIELA FECHTER (@gabrielafechter) on

//www.instagram.com/embed.js

Confira abaixo todos os campeões na faixa marrom:

– Faixa-marrom / Masculino / Adulto
Peso-galo: Cícero Lívio Ribeiro Paiva (Ares BJJ)
Peso-pluma: Kennedy Leonardo Maciel (Alliance)
Peso-pena: Matheus Gabriel Barros (Checkmat)
Peso-leve: Levi Jones-Leary (Unity Jiu-Jitsu)
Peso-médio: Leonardo Teixeira Lara (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-meio-pesado: Mauricio de Oliveira Neto (GFTeam)
Peso-pesado: Kaynan Casemiro Duarte (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-superpesado: Devhonte M. Johnson (Unity Jiu-Jitsu)
Peso-pesadíssimo: Victor Hugo Marques (Ribeiro Jiu-Jitsu)
Absoluto: Kaynan Casemiro Duarte (Atos Jiu-Jitsu)

– Faixa-marrom / Feminino / Adulto
Peso-galo: Juliane dos Santos Wiggers (Alliance)
Peso-pluma: Larissa Campos Carvalho (Gracie Reunion)
Peso-pena: Ffion Eira Davies (ECJJA)
Peso-leve: Talia Marie Vaughan (Gracie Humaitá South Bay)
Peso-médio: Jessica Swanson (Soul Fighters BJJ)
Peso-meio-pesado: Melissa Cueto (Zenith BJJ)
Peso-pesado: Sarah Gail Rice (Team Royce Gracie)
Peso-superpesado: Elizabeth Foster (Cassio Werneck BJJ)
Absoluto: Gabriela Meireles Fechter (Checkmat)


Source: Tatame

Mundial: Buchecha x Lo e Tayane x Nathiely repetem finais de 2017 no absoluto faixa-preta

As grandes finais na faixa-preta acontecem apenas no domingo, último dia do Mundial de Jiu-Jitsu 2018, organizado pela IBJJF em Long Beach, na Califórnia (EUA). Porém, antes de chegarem à decisão, os atletas passaram por uma intensa disputa neste sábado (2), entre eles os inscritos no cobiçado absoluto, título mais “glamouroso” no meio da arte suave.

Apesar de muitas emoções, porém, as finais no peso aberto serão uma repetição do ano passado, tanto no masculino, com Marcus Buchecha x Leandro Lo, como no feminino, com Tayane Porfírio x Nathiely Jesus. Em 2017, Buchecha e Tayane triunfaram.

//www.instagram.com/embed.js

Para chegar na finalíssima mais uma vez, o favorito Buchecha passou por Rodrigo Martins (G13BJJ) e Felipe Andrew (Zenith), antes de encontrar Nicholas Meregali (Alliance) em uma das semifinais. Em luta equilibrada, o jovem saiu na frente ao puxar e raspar, mas recebeu a reposta da fera da Checkmat, que ainda passou a guarda para fazer 5 a 2 nos pontos.

Do outro lado, Leandro Lo derrotou Nick Schrock (Ribeiro JJ) e Luiz Panza (Checkmat) até encarar Victor Honório (Qatar BJJ) valendo vaga na final. O duelo foi acirrado, com ambos mostrando um jogo ofensivo. Já nos segundos finais, com a luta empatada em vantagens e punições, Lo conseguiu pegar as costas de Honório e anotou os pontos da vitória.

//www.instagram.com/embed.js

Entre as mulheres, a fera Tayane Porfírio, atual campeã mundial peso e absoluto, venceu Natasha Aileen (Fight Sports), Fernanda Mazzelli (Gracie Humaitá) e Bia Basílio (Atos) para garantir seu lugar em busca do tri absoluto. Nathiely Jesus, por sua vez, superou Renata Marinho (Alliance), Cláudia do Val (De La Riva) e Ana Carolina Vieira (GFTeam), e tentará em 2018 escrever uma história diferente da do ano passado.

Veja abaixo alguns resultados do absoluto faixa-preta – masculino e feminino:

Marcus Buchecha derrotou Nicholas Meregali por 5 a 2 nos pontos
Leandro Lo derrotou Victor Honório por 4 a 0 nos pontos
Tayane Porfírio finalizou Bia Basílio com uma chave de americana
Nathiely Jesus derrotou Ana Carolina Vieira na decisão dos árbitros
Nicholas Meregali finalizou Felipe Preguiça com um estrangulamento pelas costas
Victor Honório derrotou Tim Spriggs por 2 a 0 nos pontos
Bia Basílio derrotou Jessica Flowers por 2 a 0 nos pontos
Ana Carolina Vieira derrotou Bia Mesquita por 7 a 1 nas vantagens
Marcus Buchecha finalizou Felipe Andrew com um estrangulamento pelas costas
Leandro Lo derrotou Luiz Panza por 2 a 0 nos pontos
Marcus Buchecha derrotou Rodrigo Ribeiro por 2 a 0 nos pontos
Nathiely Jesus finalizou Cláudia do Val com um estrangulamento pelas costas
Felipe Preguiça finalizou Igor Tigrão com um estrangulamento da montada
Nicholas Meregali finalizou Ricardo Evangelista com uma kimura
Luiz Panza finalizou Fellipe Trovo com um katagatame
Mahamed Aly derrotou Yuri Simões por 3 a 2 nas vantagens

– Finais
Masculino: Marcus Buchecha x Leandro Lo
Feminino: Tayane Porfírio x Nathiely Jesus


Source: Tatame

Duplas da Atos e Cícero Costha, Clay, Jimenez e Gabi Pessanha dominam Mundial nas faixas azul e roxa

A última quinta-feira (31) marcou o início do tradicional Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF em 2018, e até este sábado (2), a tradicional Pirâmide de Long Beach, na Califórnia (EUA), já conheceu todos os campeões nas faixas-azul e roxa. Entre eles, destaques para diversas promessas da arte suave que realizaram feitos históricos, com alguns sendo promovidos.

Revelações da Atos e destaque do ADCC são promovidos

No masculino adulto faixa-azul, Mateus Souza derrotou Caio Almeida e ficou com o título da categoria dos meio-pesados. Logo na sequência, o atleta da Atos Jiu-Jitsu se aventurou no absoluto e fechou a decisão com Tainan Dalpra – campeão nos médios. Ainda no pódio, os dois lutadores foram graduados à faixa roxa pelo casca-grossa Rafael Mendes.

//www.instagram.com/embed.js

Elisabeth Clay, que disputou o ADCC – maior torneio de luta agarrada do mundo – com apenas 16 anos, fez história desta vez no Mundial. Na sua categoria, a norte-americana ficou com a medalha de bronze. No absoluto, porém, Clay voltou com tudo para abocanhar o ouro. A lutadora da Ares Jiu-Jitsu também foi promovida à faixa roxa ao fim do evento.

No restante do feminino faixa-azul, muitas estrangeiras entre as campeãs – sete de nove -, comprovando a força que a arte suave vem ganhando cada vez mais internacionalmente.

//www.instagram.com/embed.js

Gabi Pessanha, Roberto Jimenez e Thalisson brilham

No masculino adulto faixa-roxa, Roberto Jimenez, da Alliance, garantiu a medalha dourada na divisão dos pesados e no absoluto. O lutador finalizou todas suas dez lutas para conquistar as duas medalhas – sendo seis na categoria e outras quatros no peso-aberto.

O feito incrível colocou Jimenez em uma seleta lista que inclui, por exemplo, André Galvão, que na época de faixa-roxa também finalizou todas suas lutas para ficar com o ouro duplo.

//www.instagram.com/embed.js

Fera da Infight/MD, da Cidade de Deus – comunidade da Zona Oeste do Rio -, Gabi Pessanha também conquistou o ouro duplo, brilhando nos superpesados e no absoluto. Com o resultado no Mundial, a lutadora de 17 anos repetiu o feito do Europeu, Pan e Brasileiro, levando o Grand Slam da IBJJF. No pódio, Pessanha recebeu a faixa-marrom.

Quem também alcançou o Grand Slam foi Thalison Soares. O lutador da Cícero Costha levou para casa a medalha dourada após fechar com o parceiro de equipe Jonas Andrade. Ambos foram promovidos à faixa marrom. Vale destacar que Thalison não perdeu nenhuma luta em um ano e meio de faixa-roxa, além de repetir o feito no circuito da UAEJJF.

Veja a lista completa de campeões no Mundial de Jiu-Jitsu 2018 da IBJJF, aqui

//www.instagram.com/embed.js

Confira abaixo todos os campeões nas faixas azul e roxa:

– Faixa-azul / Masculino / Adulto
Peso-galo: Isaias Santos (Nova União)
Peso-pluma: Fabrício Andrey (Alliance)
Peso-pena: Marcelo Abreu (Checkmat)
Peso-leve: Lucas Protasio (ZR Team Association)
Peso-médio: Tainan Dalpra (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-meio-pesado: Mateus Souza (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-pesado: Loius Ryan (Barbosa Jiu-Jitsu – Austrália)
Peso-superpesado: Caio Perondi (Zenith BJJ)
Peso-pesadíssimo: Jason Shirley (CheckMat)
Absoluto: Mateus Souza (Atos Jiu-Jitsu)

– Faixa-azul / Feminino / Adulto
Peso-galo: Fiona Ko (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-pluma: Sarah Thackray (Alliance)
Peso-pena: Camila Roque (Gordo Jiu-Jitsu)
Peso-leve: Valentina Lodi (RCJ Machado)
Peso-médio: Deise dos Santos (Alliance)
Peso-meio-pesado: Kayla Dehm (Team Lloyd Irvin)
Peso-pesado: Lauren Adrienne (Alliance)
Peso-superpesado: Michelle Dunchus (Brea Jiu-Jitsu)
Absoluto: Elisabeth Clay (Ares Jiu-Jitsu)

– Faixa-roxa / Masculino / Adulto
Peso-galo: Jonas Andrade (Cícero Costha)
Peso-pluma: Lucas Batista (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-pena: José Mathias (Checkmat)
Peso-leve: Samuel Nagai (Carlos Holanda BJJ)
Peso-médio: Ronaldo Pereira (Atos Jiu-Jitsu)
Peso-meio-pesado: Igor Guimarães (Brasa CTA)
Peso-pesado: Roberto Jimenez (Alliance)
Peso-superpesado: André Porfírio (Cícero Costha Internacional)
Peso-pesadíssimo: Mason Fowler (Dethrone Brazilian Jiu-Jitsu)
Absoluto: Roberto Jimenez (Alliance)

– Faixa-roxa / Feminino / Adulto
Peso-galo: Vicky Hoang (Jiu-Jitsu For Life Team)
Peso-pluma: Brenda Larissa (Alliance)
Peso-pena: Ana Cristiana Rodrigues (Alliance)
Peso-leve: Margot Ciccarelli (Unity Jiu-Jitsu)
Peso-médio: Kira Sung (Jiu-Jitsu Lab)
Peso-meio-pesado: Maggie Grindatti (Fight Sports)
Peso-pesado: Yara Soares (Team Lloyd Irvin)
Peso-superpesado: Gabi Pessanha (Infight/MD)
Absoluto: Gabi Pessanha (Infight/MD)


Source: Tatame