Duzão Lopes lidera campeões nas faixas coloridas no Brasileiro de 2018; confira

Encerrado no último domingo (6), em Barueri (SP), o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu da CBJJ contou novamente com grande show de arte suave. Ao todo, mais de sete mil atletas passaram pelo ginásio José Corrêa em oito dias de torneio, que teve na faixa-preta os destaques de Tayane Porfírio e Lucas Hulk, entre outras feras. No entanto, as disputas também foram eletrizantes nas faixas coloridas, onde novos campeões foram consagrados. Confira abaixo um resumo com os atletas que brilharam na competição, onde a TATAME esteve presente e realizou uma cobertura especial através das suas redes sociais (veja).

– Faixa azul

No masculino adulto faixa-azul, representando a ZR Team Association, Lucas Protásio brilhou ao faturar o ouro duplo, sendo campeão no peso-leve, ao derrotar Thiago Almeida, e também no absoluto, vencendo Max Weslei. Ainda nas divisões de peso, Roiter Lima, Fabrício Batista, Wesley Possamai, Guilherme Kokumai, Max Weslei, Vinícius Liberati, Caio Melo e Horácio Antunes também garantiram a medalha dourada com boas atuações.

Já no absoluto feminino, Mayara Ribeiro, da GFTeam, foi a grande campeã, com Nicole Marques, também da GFTeam, em segundo lugar. Outras vencedoras, por categoria, foram Paloma de Lima, Amanda Moreira, Stéffane Santos, Thalyta Silva, Thais Lopes, Kauane Ramos, Tamiris Silva, Thaynara Dias e Maria Victória, que deram show entre as mulheres

Confira os resultados completos do Brasileiro de Jiu-Jitsu, aqui

Lucas Protásio brilhou nas disputas da faixa azul, garantindo o ouro no peso e também no absoluto (Foto reprodução)

– Faixa roxa

No adulto faixa-roxa entre os homens, os principais nomes foram Anderson Munis e Erich Munis. Os “Irmãos Munis” do Clube Feijão tiveram grande desempenho e fecharam tanto a categoria peso-pesado, quanto o absoluto. Thalison Soares, Diego Batista, Jackson Pinheiro, Guthierry Barbosa, Lucas Nascimento, Pedro Fillipe, Jackson Douglas e Pedro Alex também se destacaram, garantindo o lugar mais alto do pódio em suas divisões.

No feminino faixa roxa, o principal destaque, mais uma vez, foi a fera Gabrieli Pessanha, atleta da Infight. A aluna de Márcio de Deus conquistou dois ouros, sendo um na categoria superpesado e o outro no absoluto. Na categoria, Gabrieli derrotou Andrezza Silva (Natural Kombat), e no peso aberto, venceu a paranaense Mayara Oishi. Nas outras categorias de peso, Ana Luiza, Brenda Larissa, Ana Cristina, Ludmila Fiori, Renata Bueno, Chloé McNally, Isabelle Costa e Mayara Oishi levaram o cobiçado ouro para suas respectivas casas.

Gabrieli Pessanha segue em grande fase e agora faturou o ouro duplo no Brasileiro (Foto reprodução)

– Faixa marrom

Representando a equipe Guigo JJ, Eduardo Lopes, o “Duzão”, brilhou no Brasileiro deste ano, conquistando o ouro duplo na faixa-marrom ao derrotar Rodolfo de Jesus no pesadíssimo e Leonardo Teixeira na final do absoluto. Destaque também para as feras Carlos Alberto da Silva, Bruno de Souza, Murilo Guimarães, Ygor dos Santos, Alexandre de Jesus, Rafael Lopes, Fábio Alano e Vinícius Gazola, campeões nas disputas por categoria.

Já no feminino, Thamara Silva conquistou dois ouros, no peso-médio, contra Daiane da Silva, e no peso aberto, superando Izadora Cristina na final. Mayssa Bastos, Gabi Meireles, Brenda Heller, Melissa Stricker, Izadora Cristina e Heloisa Rodrigues fecham a lista.

Essa matéria é um oferecimento de:

#Tauron #UseTauron #NosLutamosComVoce. Para saber mais, clique aqui

Kimonos Akira, a armadura que você precisa. Para saber mais, clique aqui

Patchs Arte Suave: o melhor para o seu quimono. Para saber mais, clique aqui

Source: Tatame

Vídeo: relembre a ‘exclusiva’ de Belfort às vésperas de retornar ao UFC em 2009

No próximo sábado (12), ao que tudo indica, um dos principais ícones do MMA mundial se despede do esporte. Como já declarou em algumas entrevistas, Vitor Belfort não pretende seguir lutando após o término de seu contrato com o Ultimate, a não ser que uma proposta vantajosa para sua carreira o faça mudar de ideia. Desta forma, a última exibição do “Fenômeno” será contra o compatriota Lyoto Machida, no UFC 224, que será realizado no Rio de Janeiro, sua cidade natal. Em setembro de 2009, o brasileiro conversou com a TATAME TV e, naquela época, o lutador estava próximo de fazer seu retorno ao Ultimate.

Em entrevista na X-Treme Couture, em Las Vegas (EUA), Belfort comentou a respeito da luta contra Rich Franklin, que marcaria sua volto ao Ultimate, a polêmica com Anderson Silva, com quem viria a lutar mais pra frente, a vida nos Estados Unidos, entre outros assuntos. Na parte final do vídeo, ainda rolou um treino do carioca com Shawn Thompkins.

Relembre a entrevista abaixo:

Source: Tatame

Top 10: o Fenômeno

No dia 12 de maio, Vitor Belfort pisará no octógono pela última vez para enfrentar Lyoto Machida no UFC 224 no Rio de Janeiro. Esta será mais uma oportunidade para ver um dos maiores do esporte adicionando mais um capítulo ao seu legado, que você pode ler sobre abaixo.
Compre aqui seu ingresso para o UFC 224
Tra Telligman – 7 de fevereiro de 1997 – UFC 12br />Resultado: Belfort por nocaute técnico no 1º round
Poucos, se alguém, conheciam o brasileiro Vitor Belfort quando, aos 19 anos, ele fez sua estreia no UFC contra Tra Telligm … Read the Full Article Here
Source: UFC

Cris Cyborg mira em superluta com multicampeã do boxe em 2019

Cyborg quer superluta no boxe. Foto: Reprodução / YouTube

Sem encontrar adversárias no octógono, Cris Cyborg procura desafios em outras modalidades. A campeã peso pena (até 65,7 kg kg.) do UFC iniciou uma campanha para encarar a dinamarquesa Cecilia Braekhus, dona dos cinturões meio-médio feminino (até 66,7kg no boxe) das quatro principais organizações mundiais do boxe.

Veja Também

Musa do UFC relata ataque sofrido durante visita à base militar dos EUA

Vídeo: Irmão de Fedor vence Gabriel Napão por nocaute na Rússia

Os rumores sobre a superluta cresceram neste final de semana quando Cyborg assistiu a vitória de Braekhus contra Kali Reis na Califórnia (EUA). A brasileira usava uma camisa com os dizeres ‘Cyborg vs. Braekhus no verão de 2019’.

Após o triunfo da dinamarquesa, Cris revelou que espera cumprir seu contrato com o UFC e, em seguida, iniciar a preparação para a possível migração para o boxe

“Eu preciso de tempo para treinar, de quatro a seis meses de treino, mas vai ser perfeito, porque tenho duas lutas restando no MMA, e aí posso focar no boxe. Vai ser muito empolgante. Eu a respeito, mas poderíamos fazer minha primeira luta de boxe com ela”, afirmou Cris, ao portal norte-americano Yahoo!.

Apesar do interesse em se aventurar no boxe, Ciborg garante que não irá se aposentar do MMA para debutar na nobre arte. Ela diz que pode ter que abrir mão do cinturão do UFC, mas que poderia reconquistá-lo em outro momento.

“Eu posso conquistar de novo (o cinturão do UFC), sem problemas! Mas gostaria de trabalhar com eles. Se nós trabalharmos algo com o UFC que eu possa fazer a luta de boxe e ainda manter o cinturão, voltar como o (Conor) McGregor fez, é isso. Preciso falar com meu manager”, encerrou.

Nos passos de McGregor

O intuito de Cyborg é seguir os passos de Conor McGregor. Em 2017, o irlandês, que era campeão dos leves da franquia, continuou com o título para encarar Floyd Mayweather na superluta de boxe. No duelo, o norte-americano bateu Conor por nocaute técnico no 10º round.

Source: Portal da Luta

Mesmo sem disputa nas finais, Tayane e Lucas Hulk ficam com ouro no absoluto do Brasileiro

O Campeonato Brasileiro 2018 da CBJJ chegou ao fim neste domingo (6), com a aguardada disputa dos faixas-pretas. Ao todo, mais de sete mil atletas passaram pelo ginásio José Corrêa, em Barueri, São Paulo, em oito dias de torneio. As esperadas finais dos absolutos acabaram não acontecendo. Tayane Porfírio, campeã pesadíssimo, e Cláudia do Val, dos pesados, fecharam a decisão e o título ficou com a atleta da Alliance, que finalizou Luzia Santana, com um estrangulamento na categoria, confirmando o ouro duplo.

Já no masculino, Victor Honório teve infecção intestinal e febre, o que forçou a sua saída da decisão. O próprio lutador relatou o problema nas redes sociais. O título do absoluto foi para Lucas Hulk, que compareceu ao tatame e teve o nome anunciado como vencedor.

No mais, outros grandes nomes do Jiu-Jitsu agitaram os fãs de arte suave. Nicholas Meregali, Fellipe Andrew e Rudson Mateus foram os principais destaques entre os homens, com finalizações afiadas. Já entre as mulheres, Bia Basílio, Carina Santi e Jéssica Flowers, que finalizou Fernanda Mazzelli, também levantaram o público. A TATAME esteve presente em Barueri e fez uma cobertura especial.

Rudson, Andrew e Meregali roubam a cena

Na categoria dos galos, Cleiton Soares levou a melhor sobre Willian Oliveira, enquanto na categoria dos plumas Hiago George e José Tiago fecharam. Já nos penas, Rafael Mansur e Gianni Grippo fizeram uma verdadeira batalha e a luta foi decidida para o brasileiro, na decisão dos árbitros. Nos leves, Yan Pica-Pau se sagrou campeão ao bater Jhonny Loureiro.

Nos médios, Marcos Tinoco derrotou Yago Sousa para ficar com o título. Já nos meio-pesados, Rudson Mateus teve uma excelente atuação. Após Horlando Monteiro abrir 2 a 0, o lutador da Caio Terra raspou, pegou as costas, teve tranquilidade para encaixar o mata-leão e garantir o título. Já nos pesados, Dimitrius Souza ao tentar estourar a guarda de Fellipe Andrew, acabou deixando o pé e foi finalizado com uma leg lock.

Nicholas Meregali, campeão mundial, garantiu o título brasileiro ao finalizar Igor Tigrão (Foto: IBJJF)

Entre os super-pesados, Nicholas Meregali impôs um ritmo muito forte na luta e rapidamente estava em posição de superioridade sobre Igor Tigrão no chão. Não demorou para o gaúcho ajustar o estrangulamento e confirmar a medalha dourada. Nos pesadíssimos, Felipe Augusto finalizou Otávio Serafim com um estrangulamento.

Flowers, Santi e Bia Basílio se destacam

Pela categoria peso-pluma, Alliny Karen levou a melhor sobre Cristina Zakka, enquanto nos leves o ouro ficou Bia Basílio, que derrotou Ana Carolina Schmitt. Já na divisão dos médios, Éricka Wannessa superou Renata Marinho. Pelos meio-pesados, Carina Santi dominou Rafaela Pires e fechou a luta com uma finalização por estrangulamento.

Na classe dos pesados, Cláudia do Val dominou o confronto, impôs o seu jogo e derrotou Fabiana Ferrari, que tentou reagir, mas sem sucesso. Pela categoria dos super-pesados, Fernanda Mazzelli começou a luta tentando passar a guarda de Jessica Flowers. No entanto, a atleta da Gracie Barra, com toda sua explosão, conseguiu uma raspagem, foi para montada e fechou a luta com uma chave de braço.

Confira os resultados da faixa-preta adulto:

Feminino:

Peso-Galo: Liliane Lima derrotou Aurlinda Queiroz por W.O
Peso-Pluma: Alliny Karen finalizou Cristina Zakka com um ezequiel
Peso-Leve: Bia Basílio derrotou Ana Carolina Schmitt por 4 a 0 nas vantagens
Peso-Médio: Éricka Wannessa finalizou Renata Marinho com um estrangulamento
Peso-Meio-Pesado: Carina Santi finalizou Rafaela Pires com um ezequiel
Peso-Pesado: Cláudia do Val derrotou Fabiana Ferrari por 2 a 0 nas vantagens
Peso-Super-Pesado: Jessica Flowers finalizou Fernanda Mazzelli com uma chave de braço
Peso-Pesadíssimo: Tayane Porfírio finalizou Luzia Santana com um esntragulamento
Absoluto: Tayane Porfírio e Cláudia do Val fecharam

Masculino

Peso-Galo: Cleiton Soares derrotou Willian Oliveira 2 a 0 nas vantagens
Peso-Pluma: Hiago George e José Tiago fecharam
Peso-Pena: Rafael Mansur derrotou Gianni Grippo na decisão dos árebitros
Peso-Leve: Yan Pica-Pau derrotou Jhonny Loureiro por 2 a 0 nos pontos
Peso-Médio: Marcos Tinoco derrotou Yago Sousa por uma punição
Peso-Meio-Pesado: Rudson Mateus finalizou Horlando Monteiro com um mata-leão
Peso-Pesado: Fellipe Andrew finalizou Dimitrius Souza com uma chave de pé
Peso-Super-Pesado: Nicholas Meregali finalizou Igor Gregório com um entrangulamento
Peso-Pesadíssimo: Felipe Augusto finalizou Otávio Serafim com um estrangulamento
Absoluto: Lucas Hulk derrotou Victor Honório por W.O

Essa matéria é um oferecimento de Tauron. #UseTauron #NósLutamosComVocê. Para saber mais, clique aqui. Essa publicação também é um oferecimento de Kimonos Akira, a armadura que você precisa (saiba mais aqui), e Patchs Arte Suave (Saiba mais aqui)

Source: Tatame

Feras do Jiu-Jitsu comentam o Campeonato Brasileiro e exaltam nível das disputas; confira

Presente em Barueri, São Paulo, onde acontece o Brasileiro 2018, da CBJJ, a TATAME vem conversando com diversas feras da arte suave, seja as dezenas que estão na plateia ou as centenas em ação no tatame. Ao todo, mais de 7000 atletas marcam presença na cidade paulista, com o campeonato tendo iniciado no dia primeiro de maio e chegando ao término neste domingo (6), quando rolam as disputas na faixa-preta e aguardada final do absoluto. A experiente Fernanda Mazzelli analisou a luta com Tayane Porfírio no absoluto.

“Gostei muito (da minha luta com a Tayane), apesar de a gente querer sempre ganhar. Tive uma oportunidade ali de quase pegar as costas, mas meu pé escorregou, foi pro lado e eu perdi a posição. Ela é uma campeã mundial, assim como eu, está sempre brigando por títulos. Essa foi a terceira vez que nós lutamos, foi a minha melhor performance, e se Deus quiser vem coisa boa por aí”, contou, que seguiu falando do nível do brasileiro.

“O nível do Brasileiro fala por si só. São 7.500 atletas, cada ano aumenta, no feminino faixa-preta são só lutas pedreiras, o nível das meninas cada vez melhor, então estamos vendo que os níveis em todas as categorias estão altíssimos. A gente até brinca que em algumas categorias está mais difícil que o Mundial, porque muitos brasileiros não conseguem viajar para fora, então focam aqui, isso só mostra que o Jiu-Jitsu brasileiro está muito bem”, comentou a multicampeã no Jiu-Jitsu.

Talita Treta abriu mão do Brasileiro para focar no camp do Bellator, quando vai disputar o cinturão (Foto: TATAME)

Focada no Bellator, quando enfrenta a campeã Julia Budd, no dia 13 de julho, Talita Treta abriu mão de competir Jiu-Jitsu neste período para focar no camp. No entanto, presente em Barueri, a faixa-preta disse que fica aquela “vontade” de colocar o quimono.

“Eu queria muito lutar (risos). As vezes não dá, tenho que focar no que são as minhas prioridades, o MMA, mas fico com muita vontade de lutar sim. Porém, logo depois do meu duelo no Bellator (pelo cinturão) eu vou lutar no Mundial Master e no Las Vegas Summer Open”, comentou.

O experiente Eduardo Conceição, conhecido como Jamelão, atleta da Checkmat, saiu do Espírito Santo para competir no Brasileiro e conquistou a medalha de bronze na classe máster: “Eu gostei do meu resultado. Vim lutar um campeonato onde viajei 14h de ônibus, estou a 4kg abaixo da minha categoria, mas mesmo assim, só perdi ali no final, fiquei em terceiro. Pra mim foi um bom resultado. Só em estar lutando um grande campeonato como este eu já me sinto um vencedor”, disse.

Essa matéria é um oferecimento de Tauron. #UseTauron #NósLutamosComVocê. Para saber mais, clique aqui. Essa publicação também é um oferecimento de Kimonos Akira, a armadura que você precisa (saiba mais aqui), e Patchs Arte Suave (Saiba mais aqui)

Source: Tatame

Vídeo: ex-lutador do UFC sofre nocaute em apenas nove segundos pelo Rizin FF

Ex-lutador do UFC, Ian McCall viveu mais um capítulo de sua má fase no MMA, na manhã deste domingo (6), em Fukuoka, no Japão. O norte-americano teve seis compromissos adiados por inúmeros motivos nos últimos anos e não sabe o que é vencer desde julho de 2014. Deste modo, pelo Rizin FF, do mesmo dono do extinto PRIDE, o peso-galo foi nocauteado por Kyoji Horiguchi em apenas nove segundos luta. O japonês, que também passou pelo Ultimate, acertou um cruzado de esquerda e fechou em seguida.

Confira abaixo:

https://platform.twitter.com/widgets.js

Source: Tatame

Jiu-Jitsu tem terceiro maior número de seguidores entre confederações esportivas no Brasil; saiba

A CBJJ é a terceira colocada no ranking das confederações brasileiras nas redes sociais. O resultado foi divulgado pela Repucom, empresa no segmento de pesquisa de marketing esportivo e cultural, que faz um levantamento anual dos perfis dos órgãos nas mídias digitais. A entidade foi superada apenas pela CBF (Futebol) e CBV (Vôlei).

Com 711,692 seguidores combinados em quatro redes sociais, a CBJJ tem o maior número de fãs no Facebook (437,029). No YouTube, a Confederação de Jiu-Jitsu tem o segundo maior canal da internet, com 76,346 inscritos. Novamente, fica atrás somente da CBF. No Instagram e Twitter, os números são 150,106 e 48,221, respectivamente.

Apesar de não ser uma modalidade olímpica, o Jiu-Jitsu é difundido em diversas regiões do Brasil. A CBJJ registra 51% a mais de seguidores nas redes sociais, em relação à Confederação Brasileira de Judô – segunda modalidade a conquistar mais medalhas para o Brasil em Jogos Olímpicos, com um total de 22.

A CBJJ foi criada em 1994 por Carlos Gracie Junior. A organização é responsável por competições com o Campeonato Brasileiro, organizado anualmente em Barueri, São Paulo. Além disso, promove Opens e torneios em diversas cidades brasileiras. Os eventos da confederação contam como pontos para o ranking mundial da IBJJF.

Confira o ranking:

CBJJ é a terceira colocada no ranking da Confederações Brasileiras nas redes sociais (Foto: Reprodução)

Source: Tatame

Favoritos, Buchecha e Leandro Lo conquistam cinturão no ACB JJ 13; veja

Em mais um grande card de Jiu-Jitsu, o ACB JJ 13 promoveu novos campeões, na edição em Long Beach, na Califórnia (EUA), neste sábado (5). Marcus Buchecha superou João Gabriel Rocha no main event e garantiu o título na categoria acima de 95kg, enquanto Leandro Lo dominou Gabriel Arges e chegou ao cinturão da divisão até 85kg. Na superluta No-Gi, Vinny Magalhães mostrou sua experiência e venceu Gordon Ryan.

Nomes importantes da arte suave, como Rômulo Barral, Roberto Cyborg, Luiz Panza, Igor Silva, Edwin Najmi e Michael Langhi também saíram vitoriosos.

Buchecha vence e garante título

Nos dois primeiros rounds, Marcus Buchecha começou tomando as ações e procurando as quedas no single leg. João Gabriel Rocha, preparado para os ataques do decacampeão mundial, soube defender com louvor e manteve a disputa em pé. No terceiro assalto, o confronto seguiu no mesmo panorama e os lutadores chegaram a ser punidos.

Logo nos primeiros segundos do quarto round, Buchecha aproveitou que João Gabriel foi olhar para o córner e derrubou o adversário na double leg, conquistando os dois pontos. O fato gerou uma tensão maior no confronto, no entanto, a arbitragem voltou atrás e cancelou a pontuação. Mais agressivo, Marcus foi para cima, derrubou e, após insistir, passou a guarda e ainda foi para a montada, totalizando 9 a 0 no placar. Por pouco, o faixa-preta da Checkmat não fechou a luta com um armlock.

Por conta do problema no round anterior, João Gabriel não queria tocar na mão de Buchecha para o início do último assalto, até que resolveu dá um tapinha. Precisando reverter a pontuação, o lutador da Soul Fighters tentou ser mais agressivo, porém Buchecha soube administrar a vantagem. Na pontuação, Marcus Almeida, em sua segunda luta na organização, garantiu o título do ACB JJ na categoria acima dos 95kg. Já João Gabriel Rocha não teve sucesso em sua primeira defesa de cinturão e perdeu o posto.

Lo domina Arges e conquista cinturão

Nos dois primeiros rounds, Leandro Lo usou o single leg para conseguir derrubar o então campeão Gabriel Arges e trabalhar a luta no chão. No entanto, o mineiro, na guarda, defendeu bem as tentativas de passagem do paulista e chegou perto de finalizar com uma chave de braço. Lo passou a tomar mais cuidado, ao tentar avançar em seus ataques.

Leandro Lo superou o então campeão Arges e é o novo dono do cinturão (Foto: ACB JJ)

Para o terceiro assalto, Leandro voltou a derrubar na single leg, com menos de um minuto e, rapidamente, conseguiu uma raspagem para totalizar 4 a 0 nos pontos. O pentacampeão mundial ainda chegou a pegar as costas de Arges, mas não estabilizou a posição, por tanto, não somou a pontuação. Já no quarto round, Gabriel passou a ser um pouco mais agressivo, pela desvantagem. Contudo, os lutadores ficavam duelando na guarda 50/50.

Após tentar quatro rounds, no último assalto, Leandro Lo, enfim, passou a guarda de Arges e garantiu 3 a 0 no placar. Com vitória em todos os rounds, o paulista administrou a luta e se tornou o novo campeão da classe de peso até 85kg do ACB Jiu-Jitsu.

Vinny vence superluta e Barral finaliza

Experiente nome do Jiu-Jitsu, Vinny Magalhães usou toda a sua técnica para superar Gordon Ryan, 11 anos mais novo. No primeiro round, o brasileiro abriu 5 a 0 e soube controlar a luta. Já nos dois assaltos seguintes, Vinny fez valer o seu jogo de pressão e tentou, em boa parte do tempo, estourar a guarda do norte-americano que, por sua vez, caçava o pé do brasileiro, para tentar aplicar uma finalização. O carioca ficou com a vitória na superluta No-Gi por pontos.

Vinny Magalhães carimbou a estreia do badalado Gordon Ryan no ACB JJ (Foto: ACB JJ)

Com domínio sobre AJ Sousa, Rômulo Barral avançou e colocou o joelho na barriga do oponente, depois foi para montada e chegou a abrir 10 a 2 ainda no primeiro round. No entanto, o casca-grossa não se deu por satisfeito e conseguiu encaixar a finalização por estrangulamento, no assalto inicial. O duelo aconteceu na divisão até 85kg.

Cyborg supera Erberth e Keenan finaliza Yuri

O experiente Roberto Cyborg mostrou ímpeto de garoto para travar uma guerra com Erberth Santos. No primeiro e terceiro round, Cyborg impôs melhor o seu jogo e conseguiu quedas, além de trabalhar as transições no solo. Já no segundo assalto, a luta foi disputada quase toda ela em pé. No fim, por pontos, Roberto levou a melhor. Já Erberth conheceu a terceira derrota seguida no evento. Após insistir para entrar na guarda de Yuri Simões, Keenan Cornelius começou a ensaiar a chave de omoplata que, aos poucos, foi se encaixando. Com o brasileiro tentando sair, a posição foi se ajustando e o norte-americano venceu ainda no segundo round por finalização, na categoria até 95kg.

Roberto Cyborg venceu Erberth Santos nos pontos e garantiu importante vitória no ACB JJ 13 (Foto: ACB JJ)

Luiz Panza e Igor Silva finalizam

Após ser derrubado por Ricardo Evangelista, Luiz Panza manteve a tranquilidade e conseguiu puxar o adversário para a guarda. Com isso, armou uma armadilha e encaixou o triângulo de perna, que restou ao faixa-preta da GFTeam bater e decretar o fim do confronto, no último round. O ex-campeão do Berkut voltou a triunfar no ACB JJ. Em ótima fase na carreira, Igor Silva impôs o seu jogo de pressão e finalizou Jackson Sousa. O casca-grossa entrou na guarda do compatriota e encaixou a chave de braço que foi fatal para finalizar Jackson, ainda no primeiro round, da divisão até 95kg.

Igor Silva, em alta no Jiu-Jitsu, conquistou mais uma vitória no Berkut (Foto: ACB JJ)

Langhi e Najmi comandam primeiras lutas

O norte-americano Isaac Doederlein travou uma batalha com Augusto Tanquinho, lutador do UFC, e venceu por pontos, na divisão até 65kg. Em uma bela transição, ao sair da guarda e conseguir pegar as costas de Rodrigo Caporal, o ex-campeão Edwin Najmi ajustou o mata-leão e venceu por finalização, ainda no primeiro round, na classe de peso até 75kg. Com uma performance consistente, Pablo Mantovani teve um domínio sobre Gabriel Marangoni e também triunfou por pontos, na categoria até 65kg.

Edwin Najmi, ex-campeão do Berkut, voltou a vencer na edição realizada na Califórnia (Foto: ACB JJ)

Em luta equilibrada, Michael Langhi usou a experiência para sobrepor seu jogo diante de Victor Silvério e levou a melhor na decisão dos árbitros, na divisão até 75kg. Já na categoria até 60kg, Ary Farias teve um amplo domínio sobre João Pedro Somália, tendo feito 26 a 0 no segundo round, após diversas transições no solo, como sair do 100kg e chegar na montada. No terceiro assalto, finalizou com uma chave de pé. Na luta de abertura do ACB JJ 13, pela divisão até 65kg, Bruno Frazatto derrotou Nicollas Welker por decisão unânime dos jurados, após três rounds.

CONFIRA OS RESULTADOS:

ACB JJ 13
Long Beach, Califórnia (EUA)
Sábado, 5 de maio de 2018

Marcus Buchecha derrotou João Gabriel Rocha por pontos
Leandro Lo derrotou Gabriel Arges por pontos
Vinny Magalhães derroto Gordon Ryan por pontos
Rômulo Barral finalizou AJ Sousa com um estrangulamento no 1R
Roberto Cyborg derrotou Erberth Santos por pontos
Keenan Cornelius finalizou Yuri Simões com uma chave de omoplata no 2R
Luiz Panza finalizou Ricardo Evangelista com um triângulo de pena no 3R
Igor Silva finalizou Jackson Sousa com uma chave de braço no 1R
Isaac Doederlein derrotou Augusto Tanquinho por pontos
Edwin Najmi finalizou Rodrigo Caporal com uma mata-leão no 1R
Pablo Mantavoni derrotou Gabriel Marangoni por decisão dos jurados
Michael Lanhi derrotou Victor Silvério por pontos
Ary Farias finalizou João Pedro Somália com uma chave de pé no 3R
Bruno Frazatto derrotou Nicollas Welker por pontos

Source: Tatame

Musa do UFC relata ataque sofrido durante visita à base militar dos EUA

VanZant revela ataque sofrido em base militar (Foto: Reprodução/Facebook UFC)

Paige VanZant foi convidada pelo UFC para realizar um tour por bases militares norte-americanas pelo mundo. Em uma dessas visitas, a lutadora viveu muitas emoções. Depois de mostrar sua técnica ao apagar um fuzileiro do exercito dos EUA (veja o vídeo abaixo), a musa do Ultimate passou por momentos de tensão: a base em que ela estava sofreu um ataque durante a visita.

Veja Também

Musa do UFC apaga fuzileiro em visita a base militar dos EUA

Vídeo: Irmão de Fedor vence Gabriel Napão por nocaute na Rússia

Comissão monitora peso de três atletas antes do UFC 224, no Rio

A loira revelou, ao site de fofocas TMZ, o drama durante o ataque. Mas, apesar do grande susto, VanZant gostou da experiência de visitar as tropas do exercito e elogiou o trabalho dos soldados.

“Estamos no Afeganistão, mas passamos por muitos lugares. Foram muitas bases militares em uma semana. Sofremos um ataque, uma das bases que estávamos sofreu um ataque. Mandaram a gente ficar embaixo da mesa até verificarem que estava tudo bem. Foi extremamente assustador, mas valeu a pena. Pude ver pelo que nossas tropas passam todos os dias”, revelou Paige.

A musa do UFC também comentou como foi apagar um fuzileiro na frente de vários membros do exercito. Ela garante, que apesar dos aplausos recebidos, ficou envergonhada com a situação.

“Eu fiquei constrangida, não era algo que eu planejava fazer. Foi horrível, em minha defesa ele não bateu. Não poderia soltá-lo se ele não bateu. Pedi para ele bater quando não aguentasse mais, mas militares são durões. Pedi muitas desculpas e perguntei o porquê de ele não ter batido. Quando ele acordou, não sabia muito bem o que tinha acontecido e ficou procurando o Max (Holloway, campeão dos penas do UFC que também estava no tour)”, encerrou.

Vídeo: VanZant finaliza fuzileiro em segundos

Source: Portal da Luta