Vídeo: veja, em câmera lenta, os melhores momentos do UFC 225, que consagrou Whittaker e Covington

Relembre, por um outro ângulo, alguns dos momentos mais marcantes do UFC 225, realizado no último sábado (9), em Chicago (EUA). Na luta principal, Robert Whittaker derrotou Yoel Romero por decisão dividida dos jurados após uma verdadeira guerra. Já no co-main event, foi a vez de Colby Covington superar Rafael dos Anjos por unanimidade para sagrar-se o campeão interino dos meio-médios, entre outros grandes confrontos.

Confira os melhores momentos do UFC 225 abaixo:

Dos Anjos agradece apoio, promete voltar mais forte e diz: ‘No final o bem sempre vence’

Dos Anjos (foto) promete voltar ao UFC ‘mais forte’ (Foto: Reprodução/Facebook/UFC)

Rafael Anjos esteve perto de fazer história no último sábado (09) ao se tornar o primeiro brasileiro campeão em duas categorias do UFC. Mas o revés diante de Colby Covington, na decisão unânime dos juízes, frustrou o desejo do lutador. Apesar do objetivo adiado, RDA já mira em recomeçar a caminhada rumo ao título dos meio-médios (até 77,1kg).

Veja Também

Ex-TUF Brasil será segurança de Cristiano Ronaldo na Copa Mundo

Esparza reclama de revés para Claudinha e dispara: ‘É uma trapaceira’

Dana White planeja super luta de Jon Jones contra Brock Lesnar

Através de uma longa postagem em sua conta no Instagram, Rafael agradeceu o carinho dos fãs e prometeu voltar ao octógono mais forte.

“Agora é rever o que não deu certo, trabalhar e recomeçar o caminho rumo ao topo… O mal pode vencer o bem em alguns momentos da vida, mas no final, o bem sempre vence”. escreveu RDA.

Confira abaixo a publicação de Rafael dos Anjos

“Queria agradecer o apoio e o carinho de vocês. Desde sábado tenho recebido muitas mensagens e isso não tem preço. Sempre fui um cara muito competitivo, e confesso que nunca soube lidar direito com a derrota. Dei o meu máximo lá dentro, tive o apoio dos melhores treinadores que eu poderia ter. O resultado não veio a nosso favor, mas nada me fará desistir. Sou um cara movido a desafios e esse é apenas mais um. Em 2014, depois da luta com o Khabib, trabalhei dobrado, mantive o foco e, com a graça de Deus, me tornei campeão 11 meses depois daquela derrota. Dessa vez não vai ser diferente.
Cheguei a essa disputa de cinturão interino depois de apenas três lutas nos meio-médios. Mal comecei meu caminho nesse peso, sei do meu potencial e sei aonde vou chegar. Não vou desistir dos meus objetivos por conta do primeiro percalço nessa divisão. Agora é rever o que não deu certo, trabalhar e recomeçar o caminho rumo ao topo. Deus sabe de todas as coisas. O mal pode vencer o bem em alguns momentos da vida, mas no final, o bem sempre vence. Você pode perder a batalha, mas nunca a guerra. Graças a Deus tenho os melhores amigos e a melhor família do mundo. Voltarei em breve mais forte do que nunca. Pode apostar”!

Dos Anjos comenta drama de Till em corte de peso e relembra seu caso nos leves: ‘Eu poderia ter morrido’

As imagens de Darren Till em um duro processo de corte de peso para o UFC Liverpool, realizado no último dia 27 de maio, onde ele derrotou Stephen Thompson, provocaram reflexão a respeito do grande sofrimento que boa parte dos lutadores passam antes de entrar em ação no cage. No entanto, para outros, como Rafael dos Anjos, o sentimento foi de “déjà vu” ao assistir a árdua missão do inglês na tentativa de bater o peso.

Próximo de disputar o título interino da divisão meio-médio, no próximo sábado (9), pelo UFC 225, contra Colby Covington, Rafael dos Anjos encontra-se, atualmente, em uma categoria onde não passa por maiores dificuldades para atingir o peso estipulado. Todavia, quando estava nos leves, onde foi campeão, o brasileiro passou por grandes dificuldades antes das suas lutas, como contou ao site MMA Junkie ao relacionar com a situação de Till.

“Eu não o vejo (Darren Till) lutando por muito tempo nessa categoria dos meio-médios. Toda vez que você bate o peso, fica mais e mais difícil. Já estive lá antes. Sinto que cada vez que eu batia 70kg (categoria peso-leve) ficava mais difícil. Isso vai fazer ele subir para os médios (84kg) eventualmente”, disse Dos Anjos, que relembrou os “tempos difíceis” para bater o limite dos leves, inclusive no processo de corte de peso para a luta com Eddie Alvarez, onde esteve defendendo o cinturão da categoria, mas acabou saíndo derrotado.

“Desmaiei três vezes e voltei. Fiz isso, provavelmente, três vezes. Em uma dessas situações, fiquei fora (do ar) por três minutos. Quando caí de volta na banheira, quase bati a parte de trás da cabeça na pia. Eu poderia ter morrido. Essa foi uma luta que eu não deveria ter lutado, mas tudo acontece por um motivo. Fiz, perdi e aprendi muito com isso”, relembrou o brasileiro, que ainda fez mais uma luta nos leves, contra Tony Ferguson, onde foi superado mais uma vez e, com isso, realizou a transição para a categoria meio-médio.

“Depois de ganhar peso, não consegui ficar de pé por 40 minutos a uma hora. Deitei no chão, no corredor do hotel, no meu quarto, na porta do meu quarto. O cara disse: ‘Ok, Rafael, é hora de perder peso’, e eu não conseguia me levantar. Simplesmente não pude andar. Mas fiz isso”, concluiu Dos Anjos, que após a subida, emplacou três vitórias seguidas no UFC, diante de Tarec Saffiedine, Neil Magny e Robbie Lawler, respectivamente.


Source: Tatame